Amanhã é dia de Cruzeiro, o maior campeão da Copa do Brasil

Foto: Bruno Haddad / Cruzeiro

Nesta quarta-feira, tem Mineirão. Tem Copa do Brasil. Tem o Rei de Copas em campo, em jogo contra o CRB, pela terceira fase da competição nacional.

Após duas classificações bem sofridas nas fases anteriores, com um empate contra o São Raimundo/RR e a decisão por pênaltis contra o Boa Esporte, agora os confrontos serão de ida e volta. Na primeira parte, o Cruzeiro jogará dentro de seus domínios, com apoio da China Azul. Na próxima semana, é a hora de fazer uma visita ao Estádio Rei Pelé, em Maceió.

O ano de nossa reconstrução começou bem difícil, mas dentro do que já imaginávamos para um time dilapidado por gestões anteriores.

Fora de campo, o núcleo gestor promoveu muitas melhorias e está, aos poucos, colocando a casa em ordem. Obviamente que o caminho é longo e árduo e há muita coisa ainda a se fazer. O programa de sócio torcedor, por exemplo, tem apresentado muitos problemas e isso prejudica a adesão dos torcedores e, consequentemente, a entrada de mais receitas para o clube. Com o tempo, esperamos que esses problemas sejam resolvidos.

Dentro de campo, além do desempenho já citado da Copa do Brasil, a campanha no Campeonato Mineiro é mediana, com 14 pontos em 24 disputados. São 4 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, até agora. Contudo, considerando que nossa pré-temporada foi prejudicada pela indefinição quanto ao elenco, com inúmeras chegadas e saídas neste início de ano, era de se esperar que a equipe encontraria algumas dificuldades.

Ainda assim, o grande questionamento quanto ao trabalho desenvolvido pelo departamento de futebol, no qual estão incluídos o diretor de futebol, o treinador e sua comissão técnica, está em algumas contratações duvidosas, como a de Roberson e João Lucas, além da inconsistência tática e do desempenho dentro de campo, com muito espaçamento entre os setores da equipe, algumas falhas defensivas em sequência e muita dificuldade no ataque.

A insistência de Adilson Batista na escalação de jogadores como João Lucas e Everton Filipe, que ainda não conseguiram mostrar qualidade suficiente para assegurar a titularidade, também é alvo de críticas de muitos torcedores. Enquanto isso, alguns jovens ativos do clube, oriundos da categoria de base, perderam espaço.

Com a chegada de novos reforços, o atacante Marcelo Moreno, o volante Jean e os zagueiros Ramon e Marllon, além dos retornos de Robinho e Ariel Cabral, a tendência é que o Cruzeiro ganhe muito em experiência. No entanto, será que nossa base perderá ainda mais oportunidades? Jogadores como Jadsom, Adriano, Cacá, Arthur, Maurício, Thiago, que não desapontaram nas chances que receberam, precisam continuar o seu desenvolvimento e isso só será possível com minutos de jogo.

E, talvez agora, com mais peças no elenco, a cobrança sobre o treinador seja ainda maior. Por enquanto, o trabalho do Adilson não me agradou. Apesar de todas as dificuldades, do elenco limitado, de precisar escalar muitos jogadores jovens e com pouca experiência no futebol profissional, o desempenho poderia ser um pouco melhor. Seria hora de trocar o comando técnico? Deixo esse questionamento para vocês.

Lembremos que nosso grande objetivo na temporada é voltar ao nosso devido lugar e, para isso, a equipe precisará apresentar um futebol bem melhor. Com mais tempo, quem sabe o nosso bom jogo comece a aparecer. Vamos aguardar. 

Por ora, nosso foco é o confronto desta quarta-feira. Após a derrota do último sábado, o Cruzeiro terá um desafio muito importante e muito complicado, talvez muito próximo das dificuldades que encontraremos durante a série B. É uma prova de fogo, já que estaremos na disputa de um torneio eliminatório e esse tipo de competição sempre pode trazer surpresas. É daquele tipo de jogo em que os erros precisam ser minimizados e o time precisa jogar com a concentração lá no alto.

Por isso, será muito importante a presença e o apoio do torcedor. Os ingressos já estão à venda e será essencial ter um Mineirão com bom público, para empurrar o Cruzeiro para uma boa vitória. É hora de colocar de lado toda nossa resistência a Bolicenhos, Benecys, Adilsons, João Lucas e afins, para pensar em um bem maior. Uma classificação significaria bons rendimentos financeiros para o clube. E isso é de grande valia para nosso momento.

Afinal, nesta quarta-feira, entrará em campo o maior campeão da Copa do Brasil, o rei de Copas, Cruzeiro Esporte Clube. Só isso, já basta.

Para cima deles, Cruzeiro. Bora Reconstruir. 

6 comentários:

  1. Engraçado, todos sabemos que pra disputar série B é necessário que se tenha um time forte, cascudo pra tentar obter bons resultados e alcançar a finalidade desejada que é a ascensão à série A e no entanto gente pedindo que se escale meninos da base. Algum torcedor mais lúcido acredita que com esse time de jogadores formado com a maioria de jogadores da base o cabuloso possa subir? Brincadeira viu...

    ResponderExcluir
  2. Quando tive minha primeira oportunidade de mudar minha vida pelo trabalho, não exitei. Procurei fazer o melhor e mostrar que queria aprender para crescer. Esses garotos do cruzeiro agem diferente. O Maurício é o exemplo mais claro disso, haja vista, que após os diversos elogios só anda em campo.
    Mas, entendo, smj, que o Adilson tem uma enorme culpa nisso. Não tem voz de comando e isso faz com que os jogadores não obedeçam o esquema tático.
    Assim desce para 3ª.

    ResponderExcluir
  3. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  4. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk o trem tá feio para as marys....

    ResponderExcluir
  5. Esse time é a maior vergonha de Minas.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.