À espera do milagre para o Cruzeiro.

Foto: Cristiane Mattos / Sportv
Pois é, galera. Como já dizíamos há um tempo atrás, apenas um milagre poderia salvar o Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Com a chegada da 38ª e última rodada da competição nacional, a nossa situação é extremamente crítica e o milagre é o nosso último recurso.

Com 37 jogos disputados, o Cruzeiro soma pífios 36 pontos. São apenas 7 vitórias, um dos piores ataques na competição, um futebol ridículo dentro de campo e apenas o 17º lugar na classificação. Somando isso com um caos extracampo, denúncias, problemas de gestão, finanças fora de controle, cabide de emprego, uma diretoria amadora e tantos outros problemas, podemos dizer que o ano de 2019 não foi nada fácil para a torcida cruzeirense.

Na nossa última e derradeira chance de permanência na primeira divisão nacional, as chances de sucesso são mínimas. Inacreditavelmente, o Cruzeiro entrará em campo domingo com uma tarefa mais complicada do que há 8 anos, quando enfrentou o Atlético/MG em Sete Lagoas e saiu vencedor por 6x1.

Ali, uma vitória já nos bastava para a salvação. Desta vez, há chance de que nem isso seja suficiente para nossa redenção.

Para que continuemos na Série A, há apenas uma combinação de resultados que nos interessa. Só uma. Precisamos vencer o Palmeiras, por qualquer placar, e torcer pela derrota do Ceará, no Rio de Janeiro, contra o Botafogo. Um empate do nosso adversário direto já representará nosso descenso, independente do resultado do jogo no Mineirão.

É, amigos. Só um milagre mesmo para nos salvar.

O time que tem imensas dificuldades para fazer gols, precisará balançar as redes do gol do Palmeiras, precisará de não ser vazado, enfim, precisará fazer tudo aquilo que faltou durante todo o campeonato: jogar futebol; colocar o coração na ponta da chuteira e jogar com raça e vontade. Nem vou falar sobre organização, já que faltou isso durante todo ano e não será agora que vai acontecer. De qualquer maneira, precisamos dos 3 pontos. Pode ser com gol de canela, gol feio, gol contra, não importa, mas precisa ser uma vitória.

Muito já falamos sobre os culpados dessa situação e, seja qual for o resultado do próximo jogo, iremos falar mais a respeito disso. Comissões técnicas (já são 4 técnicos em 2019)  e, principalmente, a diretoria e grande parte dos jogadores. Poucos honraram de fato o manto celeste e a instituição como um todo. Por outro lado, muitos deles poderão ficar marcados e deixar uma mancha terrível em nossa história. Algo que nos entristece consideravelmente.

Muitos querem a nossa derrota. Mas, é claro. Todos que temem um gigante desejam que ele sucumba e caia. Que estejam errados.

Caso o pior aconteça, quem estará aqui? A torcida, em sua grande parte, irá continuar e irá ajudar a reerguer o clube, em qualquer divisão que estejamos. Outros, como membros da diretoria e jogadores, irão para outros lugares e nos deixarão afundados na crise. Na realidade, não estão nem aí para o clube, mas apenas com seus desejos pessoais e seus egos.

Independente do resultado final, no dia 08/12/2019, devemos iniciar uma nova fase da vida do Cruzeiro Esporte Clube. Uma reestruturação de ponta à ponta. Mudar o estatuto, investir na categoria de base e nos esportes especializados, renovar os membros da diretoria, melhorar processos, produtos e serviços, como o programa de sócio torcedor. Chamar a torcida para fazer parte disso. Acima de tudo, mostrar transparência e responsabilidade nas decisões. Não dá mais para gerir o futebol como foi feito até agora em 2019.

Mas isso é um assunto para o domingo às 18:00. Antes disso, precisamos definir nossa vida. Os sentimentos são diversos: angústia, medo, ansiedade e até mesmo um alívio por saber que toda essa indefinição vai passar. Não há mais meio termo. Ou sobrevivemos ou padecemos.

Muitos jogaram a toalha e, sinceramente, não estão nem um pouco errados. Fomos muito maltratados neste ano. Mentalmente e psicologicamente, não sei nem explicar como ainda estamos vivos à essa altura do campeonato.

Para aqueles que ainda creem na reviravolta, é hora de se apegar a toda fé, toda superstição, todo credo.  É a nossa última ponta de esperança, para que aconteça um feito épico, aquela uma chance em um milhão. De fato, à espera do imponderável, do inacreditável, do milagre.

Quem for ao Mineirão no domingo, precisa ir preparado para tudo. Que tudo ocorra sem brigas, sem violência, sem confusão e que, acima de tudo, aconteça o que tiver reservado de melhor para o Cruzeiro Esporte Clube.

No final das contas, é o Cruzeiro. E sempre será.

Para cima deles, Cruzeiro. 

4 comentários:

  1. Primeira rodada da série B Cruzeiro e confiança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Chamam o Cruzeiro e sua torcida de arrogantes. Mas, o tanto de xingamentos de outras torcidas tem mostrado que é o contrário.

    ResponderExcluir
  3. Sou Atleticano e moro em Ribeirão Preto. O mais terrível e ver velhos abutres tentando dar uma de querer salvar o clube. Por favor independente, limpem o clube, pessoa novas, mentes com profissionalismo. Que esta lição fique estampada em uma gravura para servir de lição para o futuro. Boa sorte amanhã.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.