Header Ads

Apostas de Futebol 1xBet banner

O Cruzeiro precisa se afastar da atual diretoria

Foto: Renan Damasceno / EM / D.A Press
Após a eliminação para o Internacional, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, a torcida do Cruzeiro colocou sua esperança em uma boa recuperação no Campeonato Brasileiro já que, no momento, está em uma incômoda briga contra o rebaixamento, ocupando uma incômoda 16a posição.

No entanto, para piorar as coisas, fomos impiedosamente goleados pelo Grêmio, na Arena do Horto, por 4x1. Fora o baile. Na verdade, o nosso adversário criou ainda algumas oportunidades para ampliar o placar, enquanto o Cruzeiro era um amontoado de jogadores dentro de campo, sem raça, sem marcação, sem poder ofensivo, sem poder de reação algum. Uma verdadeira lástima.

Tudo isso é reflexo do ocorrido fora de campo. O Cruzeiro está nas mãos de pessoas incompetentes e com objetivos escusos, para não dizer outra coisa. Os interesses pessoais são colocados à frente do futuro da instituição e, infelizmente, as previsões são muito ruins. Após as denúncias veiculadas no Fantástico, o que foi feito para reverter a situação? Nada! 

A nossa diretoria é omissa, com um “presida raiz” que não aparece, um vice-presidente com péssimo histórico no comando de outro clube e vários diretores sem o menor conhecimento técnico ou, pelo menos, conhecimento de clube para entender a grandeza do Cruzeiro Esporte Clube; todos eles ganhando altos salários e afundando as nossas finanças. Além disso, o conselho está quase todo alinhado com a diretoria; é um sistema vicioso e que necessita de mudanças profundas para que o Cruzeiro volte aos trilhos. 

Apenas para exemplificar, o orçamento do Cruzeiro para o ano de 2019 previa uma receita de premiação na casa dos R$ 90 milhões. Ou seja, a diretoria, inclusive o presidente “especialista” em finanças, fez toda a nossa previsão orçamentária considerando uma receita hipotética, que dependeria do time conquistar os títulos dentro de campo. Para que ser conservador, não é mesmo? É melhor gastar dinheiro que não temos e nos atolar em dívidas? 

Gente, nosso diretor financeiro tem um histórico muito ruim, inclusive já trabalhou no nosso rival durante a gestão de Ziza Valadares, no ano do rebaixamento do Alt. Mineiro. É algo para nos deixar estarrecidos. 

Os salários estão atrasados. Para quitar os compromissos, o Cruzeiro precisou vender algumas peças do elenco, à preço de banana e, é claro, sem a devida reposição. Até o final de ano, com todo esse planejamento financeiro (ou a falta dele) da diretoria, como conseguiremos nos manter? 
Enquanto o time sobrevivia nas copas e mantinha a esperança daquela previsão de receita se concretizar, a torcida buscou apoiar e incentivar os jogadores dentro de campo. 

Contudo, com péssimos resultados dentro de campo e uma ingerência absurda fora dele, não dá mais para continuar do jeito que está. Possivelmente, passamos por um período de queda no número de sócios, principalmente com a farra dos ingressos gratuitos. Tudo isso é muito preocupante. 

Mesmo assim, a culpa não pode ser atribuída apenas à incompetência da diretoria. Não. Os jogadores e comissão técnica também tem sua imensa contribuição para nossa atual situação. 

Nosso antigo treinador, Mano Menezes, teve seus méritos nas nossas conquistas dos ultimos dois anos e se sobressaia na condução e gestão do vestiário. Até o momento em que ele conseguiu blindar os jogadores das inúmeras denúncias e crise institucional, sua permanência foi garantia. Depois que a situação ficou insustentável, com os resultados pífios no Brasileiro e uma sofrida eliminação na CONMEBOL Libertadores, não havia mesmo como continuar. 

Seu substituto, Rogério Ceni, chegou com uma nova filosofia de trabalho. Uma grande vitória em sua primeira partida, com Mineirão lotado, nos deu esperança de dias melhores. Hoje, algumas semanas depois, tudo foi por água abaixo. A eliminação da Copa do Brasil e a última derrota no Brasileiro, com exibições vexatórias e resultados vergonhosos, expuseram a possibilidade de um vestiário com clima ruim e jogadores insatisfeitos. A bagunça administrativa chegou com força dentro do elenco e mostrou uma situação insustentável. 

Só que não dá para isentar os jogadores pelo momento vivido. A falta de vontade, de comprometimento e de mais respeito pelo clube é latente. Atletas experientes e com grande vivência no mundo do futebol desempenham um futebol abaixo de qualquer crítica. As derrotas fazem parte do jogo, de fato não dá pra ganhar de todo mundo; não dá para ser campeão de todas as competições. Só que derrotas como as duas últimas do Cruzeiro não são normais. Ficou nítido que tem algo muito errado.

A entrevista coletiva do técnico Rogério Ceni, após a derrota contra o Grêmio, foi emblemática. Ou algo muda, ou ele não tem condições de continuar. Ou os jogadores mostram um desempenho e um comprometimento maior, ou serão sacados do time. Ou a diretoria se acerta administrativamente e dá o devido respaldo para a comissão técnica, ou a situação já crítica tende a piorar consideravelmente. Não queremos que o pior aconteça e que a história do clube fique manchada por culpa de quem comanda o Cruzeiro. 

As mudanças precisam ser drásticas. Em primeiro lugar, no alto comando do clube. Sem mudanças na diretoria, dificilmente conseguiremos avançar e sair dessa crise institucional. Em segundo lugar, nos jogadores. O desempenho dentro de campo precisa ser, e muito, cobrado. Precisamos de jogadores comprometidos, que honrem e respeitem a nossa história. Que genuinamente estejam preocupados com nosso futuro. Quem não se encaixar neste perfil, melhor se adequar ou buscar novos ares. 

A torcida está na campanha: #FechadocomoCeni. Nossa cobrança será diária. Nós vamos carregar esse clube nas costadas! Ademais, nossa preocupação é com o futuro do nosso time, algo que nossos comandantes claramente não estão preocupados. 

Não é hora de vaidade, de pensar no benefício próprio. A situação é insustentável. Não há condições de esse presidente e seu vice continuar no comando do Cruzeiro, tampouco a diretoria  e grande parte dos conselheiros. 


Renunciem, pelo bem do Cruzeiro Esporte Clube. 

14 comentários:

  1. Concordo com o seu texto mas é muita ingenuidade pedir que um diretor que tenha salario de 100 mil mensais renuncie.

    ResponderExcluir
  2. Uma vergonha!!
    Rogério Ceni é um profissional honesto e de caráter!! Precisamos dele. Sei que é capaz! Mas a Diretoria e alguns profissionais (São nosso câncer!) Radioterapia é quimioterapia neles!!
    COM URGÊNCIA!!!)

    ResponderExcluir
  3. Thiago Couto, meus parabéns pela lucidez!! Vc foi brilhante em seu comentário!

    ResponderExcluir
  4. Todos que apoiam a atua diretoria sao uns uns babacas turma fdp

    ResponderExcluir
  5. Essa diretoria é que deve se afastar do Cruzeiro. Clamo aos homens e mulheres de carácter, se existirem no conselho com algum direito de voto, tomarem frente e acabar com essa baderna ai instalada, Gilvan de Pinho Tavares, que apoio o Wagner que posteriormente veio a lhe trair, o Alberto Rodrigues, a quem penso ser sério e outros que não conheço. Antes que aconteça o quê aconteceu com o Internacional, quando administrado por uma diretoria corrupta foi parar na segunda divisão.

    ResponderExcluir
  6. A coisa é difícil. A torcida só pode protestar. Não tem poder nenhum para tirar ninguém. Parece que eles estão como boi do couro grosso. Ferrão não machuca. Deveriam todos renunciar para que o Cruzeiro possa encontrar o caminho.

    ResponderExcluir
  7. A situação do cruzeiro é gravíssima dentro e fora de campo isso reflexo da gestão passada com essa diretoria atual que só olha para seus interesses particulares com salários fora da realidade do clube, afastando os sócios torcedores e patrocinadores fazendo politica dando ingressos para torcedores, somos 9 milhões temos que nos unir e não deixar esses bando de covardes que não acabem com a nossa história vencedora. SENHOR PRESIDENTE SE O SENHOR AMA O CLUBE, RENUNCIE VC O ITAIR E O SERGINHO, VCS ESTÃO SE TORNANDO UM CÂNCER INCURÁVEL NO NOSSO AMADO CRUZEIRO.

    ResponderExcluir
  8. eles vao sair de la nem que seje opreciso usar a força

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem que "seje"...falou o valentão dos teclados.

      Excluir
  9. A atual diretoria está um asco, mas este tal gilvan de pinho tavares tem muito a explicar.
    90% da divida e dos negocioss escusos vieram das suas 2 gestões anteriores a atual .
    Como explicar o clube comprado em Portugal pelo Bruno Vicentin ex diretor e candidato a presidente do Sr Gilvan de Pinho Tavares e sua corriola?

    ResponderExcluir
  10. O maior de Minas. ( caloteiro )

    ResponderExcluir
  11. Acho que estão equivocados em criticar Itair, um dos maiores, senão o maior dirigente do futebol brasileiro. Ele precisa de tempo para implementar seu metodo de trabalho. Ceni é um projeto de técnico.

    ResponderExcluir
  12. Thiago couto.parabéns pelo texto. Retratou fielmente a nossa tragedia.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.