Header Ads

Apostas de Futebol 1xBet banner

Um mês de julho que vale por um ano inteiro para o Cruzeiro

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro
Com a chegada do mês de julho e o retorno dos jogadores às atividades na Toca da Raposa II, o Cruzeiro se prepara para um mês repleto de jogos e com emoção de sobra.

Para recomeçar a temporada, o nosso time entra em campo no dia 11/07, no Mineirão, contra o Atlético, na partida de ida das quartas-de-final da Copa do Brasil. O jogo de volta está marcado para o dia 17/07, no estádio do América.

Depois disso, ainda teremos os confrontos contra o River Plate, pelas oitavas-de-final da CONMEBOL Libertadores: dia 23/07, em Buenos Aires, e dia 30/07, na Toca da Raposa III.
No meio dessas partidas decisivas, ainda teremos que nos preocupar com o Brasileirão, para ficar livre do incômodo momentâneo da zona de rebaixamento. Teremos jogos contra Botafogo e Athletico, dentro de nossos domínios, e contra o Bahia, fora de casa.

Ou seja, dos 7 jogos em um curto período de tempo, 4 serão eliminatórios. Será, sem sombra de dúvidas, dentro de campo, o momento mais importante da temporada. Um mês de julho que pode nos valer a sobrevivência e guardar novas emoções para o mês de agosto, que pode nos tirar de alguma competição de mata-mata, ou, na pior das hipóteses, de ambas e, com isso, nos deixar apenas o Brasileirão pela frente.

E, como preparação para o restante da temporada, o Cruzeiro realizou um jogo treino na Toca da Raposa II, na última segunda-feira, contra o América/MG. No entanto, o resultado não foi muito satisfatório: derrota por 2x1. No primeiro tempo, o técnico Mano Menezes promoveu mudanças no meio de campo, com a entrada do volante Jadson no lugar de Ariel Cabral. Lucas Romero permaneceu na lateral direita. Ainda assim, o time celeste esbarrou na forte marcação americana e não conseguiu criar boas chances de gol.

No segundo tempo, com um time reserva, o desempenho não mudou e o esquema de jogo definido pelo treinador permaneceu inoperante.

Esse problema é recorrente nos últimos jogos do Cruzeiro. A dificuldade para fazer gols está muito grande. O time está lento e não consegue imprimir um ritmo mais acelerado. Enquanto isso, a nossa zaga, um dos maiores trunfos dos últimos anos, não tem mostrado a mesma solidez de antes. Mostra disso é o fato de que temos a pior defesa do Campeonato Brasileiro. Algo que precisa mudar, e logo.
Outras equipes, como Grêmio e Corinthians, também não foram bem em seus jogos treinos, mas, e daí?

O desempenho no nosso jogo treino se torna preocupante quando lembramos da série sem vitórias do Cruzeiro. A última vitória aconteceu no dia 05/05, contra o Goiás. Depois disso, são 9 jogos sem ganhar, com 5 derrotas e 4 empates, incluindo uma sofrida classificação na Copa do Brasil. Muitos já pedem a cabeça do técnico Mano Menezes. Será a solução para os nossos problemas?

Junta-se isso à crise institucional, com uma interminável guerra política, graves denúncias, notícias negativas, uma sequência irreal de notas oficiais, da oposição e da situação, renúncias do conselho fiscal. Os bastidores do Cruzeiro estão muito agitados e a situação é bem complexa. Os problemas de gestão são latentes e há uma nítida diminuição na confiança com os conselheiros, diretores, presidentes, enfim, todos os envolvidos na administração do clube.

A esperança por melhores resultados reflete na empolgação da torcida, principalmente pelo primeiro jogo oficial pós Copa América: o clássico regional contra o Atlético. Para esse confronto, já foram vendidos 30 mil ingressos. Com mais de 1 semana pela frente, a tendência é de Mineirão lotado e isso será de extrema importância para o restante da temporada.

Fora de campo, é nosso dever cobrar uma gestão transparente e pró-Cruzeiro, sem a ocorrência de práticas espúrias, de corrupção, sem usar o clube para benefício próprio, mas tão somente para o benefício da instituição. Não queremos saber se a culpa é da atual diretoria, da diretoria antiga ou de quem quer que seja. Queremos um Cruzeiro responsável e que continue vencedor.

Dentro de campo, precisamos carregar o time. Se os resultados estão complicados e não vem acontecendo, será preciso gritar ainda mais, fazer muita festa. Neste momento, somente o apoio da torcida pode reverter essa situação tão delicada. Sem a torcida, a tendência é que nosso clube afunde. Sem a torcida, não vamos a lugar algum.

E que os jogadores voltem a jogar aquele futebol do início do ano e das nossas últimas conquistas, para que tenhamos mais chances de novos títulos neste ano. Joguem por nós, que cantamos por vocês.
 
Agora me contem, o que vocês pensam sobre o momento do Cruzeiro? O que fariam para melhorar o nosso clube? Estão ansiosos ou temerosos para o restante do ano? Ainda confiam nesta equipe?

Eu só quero que venha o dia 11, para que tentemos, pelo menos, melhorar a situação dentro de campo.

Para cima deles, Cruzeiro.

5 comentários:

  1. Infelizmente, Thiago, não acredito nesse time,nesse treineiro que insiste em ser chamado de técnico. Os jogadores do Cruzeiro só sabem fazer discurso falando em melhorar, recuperação mas,na prática, estão mortos.
    Se não cairmos para a segunda, será nosso título esse ano,porque os demais,dessa forma, já foram.
    Fico triste escrever isso, mas da realidade não se esconde.

    ResponderExcluir
  2. Mano Menezes, o engessado. Ele ta caindo no mesmo erro do Marcelo Oliveira em 2015, o time ta muito manjado e o senhor pragmatismo não faz nada de diferente, insiste no mesmo esquema e nas mesmas peças.

    ResponderExcluir
  3. "Não se mexe em time ganhador", há trocentos anos essa verdade guia técnicos pelo mundo afora.
    Mas e quando um time qualquer perde 10 (dez) partidas seguidas, sua defesa, assim como seu ataque são as piores de um torneio nacional ???????
    A experiência ensina, também há trocentos anos, que um técnico inteligente, esperto, deve fazer algumas alterações no time. Principalmente, num time envelhecido como o do Cruzeiro, onde vários jogadores tem mais de 30 anos, alguns são medíocres (henrique e ariel cabral), outros já não correspondem mais (Edilson, Léo, Egídio), um trio ainda muito bom tá sendo muito mal escalado (Robinho, Thiago Neves e Rodriguinho), Fred é um artilheiro nato, um excelente pivô, mas isso só não está bastando, há que ter disputa pela bola, solidariedade, companheirismo.
    Minhas opiniões ...

    ResponderExcluir
  4. Cruzeiro necessita de mudanças.Como já dito o time é muito manjado. Não sou técnico, longe disso, mas o momento é de chacoalhar os jogadores, mostrar que o time tem sim qualidade. Eu iria de Fábio, lateral da base na direita, Dedé e Leo, Egídio, Romero (nosso melhor volante), volante da base que tenha saída de bola, tn30, Marquinhos Gabriel, Pedro Rocha e Fred (que está muito mal, mas se a bola chegar resolve).O Robinho n marca e na direita é um a menos, tn30 é muito decisivo, não da pra tirar. Penso q assim o time ficaria mais leve, protegido pelo Romero e c saída pela direita, afinal hj tdos sabem que o Cruzeiro só ataca pela esquerda.

    ResponderExcluir
  5. Ultimo comentario foi muito lúcido. Concordo em genero, numero e grau. Só que acho que nós (torcida) temos que pressionar para afastar esssa diretoria.. a coisa é catastrofica, principalmente apos a eleicao do conselho fiscal de situação

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.