Header Ads


Cruzeiro estreia com vitória, no melhor estilo Mano Menezes

Foto: Juan Mabromata/AFP

Às 19 horas de 07/03/2019, toda a torcida cruzeirense estava ligada no radinho ou no Facebook. Bem, quase todo mundo, já que o início da transmissão do jogo do Cruzeiro não foi das mais tranquilas. A primeira partida de um clube brasileiro, na Libertadores, que foi transmitida pela rede social proporcionou uma experiência, digamos, diferente. Alguns tiveram problemas para com o sinal, em um primeiro momento e, depois, para permanecer conectados. A imagem não ficou muito nítida em alguns momentos, além de ter um delay em relação ao rádio.

No final das contas, com muita coisa a aprimorar nessa novidade da transmissão de jogos de futebol, vamos ao que interessa de verdade: o Cruzeiro começou a Copa Libertadores 2019 com vitória. No melhor estilo Mano Menezes, o time celeste derrotou o Huracán no estádio El Palacio, em Buenos Aires, por 1x0, com direito à estreia do novo manto azul estrelado. Se antes, havia o meu questionamento de como o time celeste poderia conquistar o tricampeonato, com a falta de inspiração deste início de ano, a partida de hoje nos mostrou como será o caminho. 

Esses primeiros jogos na competição continental sempre são complicados e tensos, ainda mais contra um adversário argentino. Lembremos da nossa estreia no ano passado, contra o Racing. E o confronto de hoje, na teoria, seria um dos mais difíceis desta primeira fase. Fora de casa, contra uma equipe que ainda não havia perdido para times brasileiros em seus domínios, além dos desfalques de Thiago Neves e Dedé. Por isso, esses 3 pontos conquistados precisam ser muito comemorados; demos o primeiro passo rumo à classificação para a próxima fase.

Claro que ainda é cedo, mas o time mostrou estar mais atento e concentrado em relação à algumas partidas anteriores, pelo Campeonato Mineiro. Se não foi aquele jogo de encher os olhos, pelo menos o Cruzeiro se mostrou muito competitivo e seguro defensivamente. Destaque, novamente, para o goleiro Fábio. Uma das preocupações da torcida, o zagueiro Murilo não comprometeu. Apesar de alguns erros (que nos causaram uns mini infartos) e um cartão amarelo recebido por uma falta desnecessária, o camisa 4 esteve bem mais confiante do que contra a URT.

O time celeste criou poucas oportunidades no ataque. Ainda no primeiro tempo, com uma chuva forte e um gramado pesado, o jogo se desenhou na base do chutão. As jogadas trabalhadas com passes rasteiros paravam nas poças d’água formadas no El Palacio. E foi justamente em um passe pelo alto de Robinho, que Rodriguinho marcou o gol da nossa vitória. Uma bela assistência do camisa 19 e uma boa finalização do nosso camisa 23.

No restante da partida, o Cruzeiro procurou explorar alguns espaços deixados pelo time argentino, na busca de encaixar algum contra-ataque, mas o sistema ofensivo não foi a prioridade hoje. Foram poucos os chutes certos no gol adversário. No segundo tempo, em certo momento, o nosso treinador sacou Rodriguinho e colocou o zagueiro Fabrício Bruno. É isso mesmo. Foram mais de 25 minutos com 3 zagueiros, 2 volantes, todo mundo voltando para marcar, e o atacante Fred sozinho, tentando prender a bola no ataque.

No final das contas, o 1x0 deve ter arrancado um sorriso do Mano Menezes e, com certeza, de toda a torcida celeste. Libertadores é isso. Não adianta jogar bonito e depois ficar pelo caminho. Aparentemente, o time aprendeu com os erros do ano passado e está mais cascudo. O confronto desta noite mostrou que os jogadores estão preparados para a catimba, para jogar pelo resultado, mesmo que seja uma vitória suada pelo placar mínimo ou, em determinado momento, até um empate maroto.

O Cruzeiro nem sempre fará aqueles jogos vistosos, que a torcida tanto deseja. E nem precisa, de fato. 2017 e 2018 foram provas de que a tradição e o peso da camisa contam, e muito, para as nossas conquistas. Estejamos preparados para passar muito sufoco, e até um pouco de raiva, ainda. Não é o estilo que agrada a todos, mas quem disse que tudo é feito para nos agradar sempre? O jogo de hoje é um grande exemplo disso. O importante é chegar no final do ano e alcançar esse tão sonhado tri da Libertadores. Ali sim, independentemente do que passaremos pelo caminho, esperamos soltar o grito de campeão e comemorar bastante.   

Na próxima quarta, contra o Deportivo Lara, vamos fazer uma bela festa no Mineirão, colocar um grande público, e mostrar quem manda ali de verdade. Juntos, nas batalhas com o Cruzeiro.

Antes disso, temos um jogo em casa pelo Campeonato Mineiro. Que venha mais uma vitória!

Para cima deles, Cruzeiro. Reconquistar Santiago.

Um comentário:

  1. Edilson mais uma vez uma decepção.Cobrança de falta rídicula e marcação deficiente.Murilo atrasa a bola para o Fábio quase dentro do gol .Este é outro FAKE NEWS.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.