Header Ads


2018 veio para ratificar o verdadeiro decreto de Minas: ser Cruzeiro é bom demais! (e continuará em 2019)

Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro

O Cruzeiro se aproxima do mês de novembro já com o pensamento nas férias e no planejamento para a próxima temporada.

Após a grande campanha na Copa do Brasil, com a conquista do hexacampeonato, o time vem de 3 partidas em Belo Horizonte, com 2 vitórias, contra Chapecoense e Paraná, e 1 derrota para o Ceará.

Até o final do ano, serão mais 7 partidas: América/MG, Atlético/PR, São Paulo e Bahia, fora de nossos domínios, Corinthians, Vitória e Flamengo em nossa casa, a Toca da Raposa III.

Com a classificação garantida para a Libertadores em 2019 e sem possibilidades de título no Brasileirão, é preciso rever o planejamento da atual temporada, os pontos positivos e o que pode ser aprimorado para o próximo ano.

O primeiro ponto será a montagem do elenco. É praticamente certo que permaneceremos com o técnico Mano Menezes no comando da equipe e a manutenção do comandante do penta e do hexa deve ser encarada como um diferencial para o Cruzeiro. Apesar de muitos não gostarem do estilo de jogo adotado em alguns momentos pelo time, é inegável que a gestão de grupo, o conhecimento tático e a experiência são os seus pontos principais e que nos conduziram a dois títulos nos dois anos.

Para 2019, acredito ser importante a chegada de jogadores jovens, mas com grande qualidade, para acrescentar ainda mais ao experiente elenco que temos. Precisamos de opções na lateral direita e esquerda, no meio de campo, velocidade pelas pontas no ataque e uma sombra para Thiago Neves. O desempenho do time alternativo no Campeonato Brasileiro mostrou que nosso banco de reservas não era tão bom quanto o imaginado.

Algumas peças contratadas em 2018 não renderam o esperado, casos de Bruno Silva, Mancuello e Marcelo Hermes, que, nas oportunidades recebidas, foram muito mal. Edílson viveu uma temporada irregular, mas ainda conseguiu contribuir em momentos decisivos. Fred sofreu uma grave lesão e apenas voltou aos gramados neste final de ano. David, contratado como esperança para a velocidade do ataque, também conviveu com o departamento médico e não esteve bem. Acredito que os três primeiros citados não deveriam permanecer para a próxima temporada, enquanto os três últimos podem ser bastante úteis ainda.

Outros jogadores que já estavam no elenco e podem procurar novos ares em 2019: Ezequiel, Manoel, Rafael Sóbis. O nosso lateral direito reserva mostrou pouca qualidade para continuar e, em muitas oportunidades, era preterido até pela improvisação do volante Lucas Romero. Já o zagueiro Manoel caiu muito de produção na temporada, mostrou uma insegurança grande e falhou em demasia, em diversos momentos.

O experiente atacante Rafael Sóbis teve mais um ano bem irregular e não se mostrou decisivo dentro de campo, apesar do discurso do técnico Mano Menezes sobre a sua importância dentro do vestiário. Pelo alto salário que ele recebe, sua produtividade é muito baixa.

Dos que foram contratados e deram certo, podemos considerar o lateral esquerdo Egídio e o atacante Hernán Barcos.

Egídio, podemos dizer, foi o único lateral esquerdo de confiança durante o ano e fez uma ótima temporada. Já o atacante argentino, que chegou a ser contestado em alguns momentos, foi importante durante a Copa do Brasil.

Outras novas caras como Patrick Brey e Ederson, além do jovem zagueiro da base, Cacá, com poucas chances de mostrar trabalho, ainda são uma incógnita para 2019.

A permanência de grandes jogadores, como Fábio, Léo, Robinho, Thiago Neves e, principalmente, Arrascaeta também foi decisiva.

Mesmo assim, o grande acerto da nova diretoria foi a recuperação e a reestruturação do departamento médico do Cruzeiro, com a chegada de Sérgio Campolina, o que possibilitou a volta de um dos grandes destaques do nosso time, o mito, Dedé.

Entre erros e acertos, a nova diretoria teve um primeiro ano positivo. Conquistas no campeonato regional e na Copa do Brasil serviram para coroar um bom trabalho e podem ser a base para um 2019 ainda melhor. Precisamos aprender com o que não funcionou. No Campeonato Brasileiro, o desempenho foi bem ruim. Poucos gols, jogos decepcionantes com o time chamado de alternativo e sem chegar próximo da disputa pelos primeiros lugares. Na Copa Libertadores, uma primeira fase irregular, com a classificação alcançada no segundo turno, mas a eliminação nas quartas-de-final foi uma decepção enorme para o torcedor.
A busca pelo tri da América ainda é o nosso desejo e, possivelmente, a grande ambição da diretoria para 2019. Que os erros cometidos neste ano sirvam como forma de melhorar o nosso desempenho, dentro e fora de campo; é preciso mostrar força também nos bastidores para a competição continental.

Mesmo com 7 jogos ainda por vir, o Cruzeiro vive um clima de férias; merecidas. Enquanto isso, o show da torcida celeste deve continuar. A presença de um bom público nos jogos dentro do Mineirão, nossa Toca da Raposa III, foi primordial. A sinergia entre os jogadores e os torcedores é nosso trunfo para chegar ao topo da Libertadores em 2019.

E para você, quem foi destaque no Cruzeiro neste ano? Quem não esteve bem? Quem deve ficar ou continuar para 2019? Quem pode vir para reforçar o elenco?

Independente de qualquer coisa, após esse período eleitoral, podemos ratificar um decreto, líquido e certo em Minas Gerais: ser Cruzeiro é bom demais! E continuará a ser em 2019, podem ter certeza. 

12 comentários:

  1. Cruzeiro o Maior de Minas...bate forte azulão cabuloso

    ResponderExcluir
  2. Minha paixão pelo Cruzeiro vem desde o começo da década de 70, quando criança jogava bola na rua Jaime Gomes, quase esquina de Silviano Brandão junto aos meus amigos, brincadeira constante naquela época que não existia a tecnologia eletrônica de hoje, que prende as crianças em casa. Escutava os jogos do Cruzeiro em um radinho de pilhas, presenteado por meu tio Léo, que trabalhava no jornal Estado de Minas no setor comercial. Época que ir ao Mineirão era sonho de criança, tanto para ver os ídolos azuis, quanto para se deliciar com um picolé e um delicioso feijão tropeiro. A coroação do meu Amor pelo Cruzeiro, se deu, quando em um longínquo Sábado de 1976, fui presenteado com uma camisa infantil do Cruzeiro por um homem dentro de um carro que descia a Rua Jaime Gomes naquela tarde, fiquei congelado e mal pude agradecer direito quando percebi que o mesmo era nada mais nada menos que Raul o grande ídolo imortal da camisa 1 amarela! Velhos tempos, velhos dias...

    ResponderExcluir
  3. Vamps zerrooooooo o maior de minas

    ResponderExcluir
  4. Ser Cruzeirense não tem palavras.
    Torcer, chirar, alegrar saber que esta não Azul e incoparavel.
    Sou aquele torcedor silencioso, mas vibrante e satisfeito com o time.
    Nunca tive a camisa do clube, mas sou Cruzeirense desde que me intendo por torcer.
    Agradeço pelas conquistas e digo mais.
    Fábio sempre oro por vc e por todos, mas sei que mais sei que a Seleção do Brasil vai ainda clamar por um goeiro e por vc Fábio.
    Os melhores aguardam o tempo de Deus.

    ResponderExcluir
  5. Estaremos firme na estrada para a glória em 2019.Essa é a grande vantagem de continuar um trabalho que está funcionando,manter o que é forte e retocar aqui e ali.

    ResponderExcluir
  6. Sei não... acredito que o maior sonho se esvaiu ao ser derrotado, bisonhamente, pelo "Velho Boca" (velho, de já conhecido - era para ter tido mais cuidado, ter maior estratégia. Enfim, foi muito decepcionante!). Paciência, que 2019 não cometa os mesmos deslizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a LA era a prioridade do ano,mas a CB não ficou muito para trás não,afinal somos recordistas, e isso não é tarefa pra qualquer um não.Também ser desclassificado pelo Boca não é vergonha pra ninguém,claro que o erro do juiz paraguaio aleijou o Cruzeiro.Ano que vem entramos com um time mais cascudo ainda e com mais essa experiência para que ganhemos o tão desejado tri e o mundial.Quando vc torce para um time como o Cruzeiro,sonhar pequeno é bobagem.

      Excluir
  7. Vamos atravessar a estratosfera sem queimaduras e aterrisar no solo fértil de Minas Gerais para superlotar nossa sala de troféus no ano precedente a nova década.God bless you all,even the motherfuckers.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que fudi numa coisa ou duas aí em cima,sorry folks.

      Excluir
  8. Sempre aconselho, quem tem depreção torça para o Cruzeirao Cabuloso, acaba a depressão rapidinho tem no mínimo 1 título por ano, é so alegria. Zzzeerrrooo

    ResponderExcluir
  9. ...É muito importante que cruzeirenses que tem influencia dentro da torcida do Cruzeiro(COMO É O CASO AQUI DO NOBRE BLOGUEIRO) alertem a torcida, conselheiros e dirigentes sobre o recado bem claro e direto que o Marco Antônio Lage(ex- vice-presidente executivo) deixou em carta para a torcida....Ele alerta para "crise mais grave da história" do clube.
    DEVEMOS EXIGIR RESPONSABILIDADE DA DIRETORIA!
    É inadmissivel que contratações completamente fora da realidade sejam feitas novamente(Edilson, 31 anos, contrato de 3 anos, 500 mil por mes ... é um exemplo disso)...
    Vale lembrar que o Corinthians, clube que divide com o Flamengo os melhores e maiores patrocinios no Brasil, tem um teto de salario de 400 mil reais.

    ResponderExcluir
  10. Rafael Sóbis é excelente de elenco, todas as vezes que foi acionado correspondeu e além de tudo é um verdadeiro chama taça...tem que aposentar aqui

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.