Velhos hábitos ainda estão impregnados no Cruzeiro

Foto: Divulgação/Cruzeiro

 

A trajetória do Cruzeiro nos últimos tempos está marcada por momentos e sensações distintas. Não há alegria que dure 24 horas na vida do torcedor cruzeirense. É uma sina que precisa mudar.

 

Desde as denúncias ocorridas no Fantástico, tudo começou a desandar com muita rapidez. No entanto, muitas das coisas que acontecem com nosso time são frutos de incompetências e ingerências de bem antes disso. 

 

Na verdade, as denúncias serviram como um gatilho para que o torcedor entendesse o que estavam fazendo com seu clube de coração e pudesse tomar partido da situação. 

 

A expectativa da maioria, imagino, seria uma grande transformação no Cruzeiro. Não acabar, de jeito nenhum. Mas tirar as raízes podres, tirar os parasitas que contribuíram para nossa derrocada, tirar quem não estava disposto a ajudar.

 

A devassa do elenco foi grande no final de 2019 e começo de 2020. Junto disso, contudo, diversos processos na justiça, oriundos de contratos esdrúxulos, renegociações e postergações de dívidas e um discurso de contenção de gastos. Sobrou até para profissionais de outros setores. Era preciso cortar na própria carne.

 

A grande questão, porém, está em um discurso de renovação no qual velhos hábitos ainda permanecem entranhados dentro do clube.

 

Primeiramente, o Cruzeiro precisa conviver com uma crise política sem fim. Não há unidade ou convergência de ações apenas em prol do clube, sem benefícios próprios de qualquer natureza. Já passamos por uma eleição, na qual o Conselho Gestor saiu e Sérgio Santos Rodrigues foi eleito presidente, e será preciso passar por um novo processo eleitoral em Outubro. 

 

Enquanto isso, vemos velhos conhecidos dominarem o Conselho e ainda darem as cartas dentro do clube. 

 

O que foi feito com os 29 conselheiros afastados pela justiça no começo do ano, mas que conseguiram uma liminar para votar na eleição? Uma nova eleição está por vir e eles continuam lá, com poder de voto e de decisão. Pelo Cruzeiro tudo, do Cruzeiro nada. Será?

 

No âmbito financeiro, a situação é muito precária. Isso é sabido por todos. A farra do dinheiro nas últimas gestões é algo amplamente divulgado pela mídia e, a cada dia, um novo episódio aparece para nos atormentar: lojas de roupas, jantares chiques, casas de entretenimento adulto. Tem de tudo um pouco. Sem contar as contratações com salários astronômicos, inclusive para não jogadores. 

 

Ainda assim, foram efetuadas diversas contratações em 2020. Alguns, inclusive, chegaram e já foram embora, como Jhonata Robert e Everton Felipe. É complicado entender como um time com tantas restrições financeiras se dá ao luxo de contratar tantos jogadores medianos e aproveita tão mal a categoria de base, a qual poderia servir para futuras boas vendas e gerar um alívio no caixa.

 

Nada disso acontece. Só para exemplificar, Matheus Pereira, nosso melhor lateral esquerdo neste ano, foi preterido por João Lucas, Patrick Brey e Giovanni. Zé Eduardo foi emprestado para o Villa Nova/MG, depois ficou à disposição do Cruzeiro, mas foi cedido o América/RN. Com a troca de treinador, foi solicitado o seu retorno. Outros jogadores, como Marco Antônio e Caio Rosa, mal recebem oportunidades. Qual a dificuldade de perceber os jogadores que podem ser úteis antes de liberá-los?

 

Vocês já perceberam, também, que os contratos de empréstimo sempre são prejudiciais ao Cruzeiro? Quando recebemos jogadores de outras equipes, sempre precisamos liberá-los a qualquer momento, quando solicitado. Agora, quando é jogador do Cruzeiro emprestado para outro clube, a burocracia sempre aumenta e precisamos fazer concessões. 

 

Tudo isso passa por um problema muito grande, já enfrentado anteriormente pelo Conselho Gestor, e que permanece na gestão de Sérgio Santos Rodrigues: o Departamento de Futebol. Se, no começo do ano, nossa preocupação era com o trio Adilson, Ocimar e Benecy, atualmente temos a trinca Drubscky, Deivid, Benecy (sempre ele). Nenhum deles aparece para dar a cara a tapa. Apenas o presidente responde pelo futebol do clube? Parece que a diretoria de futebol está lá apenas de enfeite. Então, qual o motivo de pagar salário para esses três? Ainda mais: o que Benecy faz no clube até hoje? Esse sujeito parece intocável. Não dá para entender.

 

O retorno de jogadores como Henrique, Manoel e até a especulação de permanência do atacante Sassá, a manutenção de Ariel Cabral no elenco, a continuidade de Léo no time titular, apesar de sua má fase, ou até a chegada de reforços como Matheus Índio, jogador que tem baixa média de gols na carreira, também não são fáceis de explicar. Fato é que o Cruzeiro permanece, de certa maneira, refém de empresários e grupos políticos do futebol.  

 

Dentro de campo, a bagunça é grande do mesmo jeito. O time do Cruzeiro não passa a menor confiança para o seu torcedor. Foram inúmeras trocas de treinadores em um período de 18 meses. Além disso, não vemos um espírito de luta e de raça para disputa de uma Série B nos jogadores que entram em campo. 

 

O Cruzeiro, mesmo com o novo perfil de contratações e a redução de salário de jogadores, tem, de longe, a maior folha salarial da Série B. No entanto, em termos de futebol apresentado, é, com certeza, uma das piores equipes. Quanto mais tempo passa e os resultados não aparecem dentro de campo, menores as nossas chances de recuperação. Precisamos de resultados imediatos e um aproveitamento bem maior que o nosso atual para o acesso. 

 

Enquanto isso, a torcida procura se manifestar, da maneira que pode, cobrando por essas esperadas mudanças. Só que, mais uma vez, esbarramos em outro problema recorrente dentro do Cruzeiro. Há um movimento da diretoria para se aproximar do torcedor, seja com engajamento e conteúdo nas redes sociais, seja com o discurso de “Um Novo Cruzeiro” e inúmeras lives, seja com reuniões com membros de torcidas organizadas, para tentar apaziguar os ânimos.

 

A aproximação com torcedor é algo louvável, de fato, mesmo que alguns conteúdos estejam saturados. As lives semanais não possuem tanto impacto quanto no começo. Ademais, o retorno financeiro ainda não é aquele esperado pela diretoria. Talvez, pelo fato de que a torcida não tenha voz ativa dentro do clube. E, nem digo que tudo precisa ser do jeito que queremos para que apoiemos o clube. Longe disso. Mas, para um maior engajamento, é preciso uma coisa: reciprocidade. Se apenas damos nosso dinheiro e tempo para o clube, sem receber um retorno e, ainda por cima, vemos que nossa contribuição não é utilizada da maneira adequada, a chance de fidelização é bem menor. 

 

O Cruzeiro precisa se desvencilhar desses velhos hábitos e mostrar que está disposto a encarar as mudanças necessárias. A transparência precisa ser total, não apenas no administrativo, ou no financeiro, mas no futebol também. Dentro e fora de campo, há muito a ser aprimorado. No momento, muitas coisas não condizem com a nossa grandeza. Por isso, é hora de cobrar a todos. O caminho é longo para uma recuperação total, e é de suma importância que consigamos o acesso para a série A nesta temporada. 

 

E, lembrando mais uma vez a todos que estão no nosso clube, o Cruzeiro é de todos nós.

19 comentários:

  1. Boa tarde no Cruzeiro não há renovação sai treinador entra treinador continua com os mesmos jogadores Fábio. Léo Ariel Henrique se dispensar Léo Henrique e Ariel e contratar dois jogadores bons o Cruzeiro sai dessa ou então coloca o Leo de volante mas os treinadores escala e por nome e não pelo futebol apresentado outra coisa o departamento de Marketing do Cruzeiro e fraco se convocar a torcida para fazer depósito na conta do Cruzeiro todos colabora mas eles não abrem contas e não divulgam aí fica difícil da torcida ajudar somos 9.000.000 de torcedores se dois milhões depositar todo mês cem reais irá contribuir para pagar muita conta acorda Cruzeirao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem vai dar dinheiro para o curzeiro?? Já viu para quem o curzeiro deve? Acho que alguém vai dar dinheiro para ir parar no bolso de jogadores para os quais o cruzeiro deve milhões !! Fred, Denilson, Pedro Rocha, caicedo,Adilson batista, Abel Braga, mano Meneses, Raul plasmam, o assistente do Adilson, o amigo do itair que estava na categoria se base, Thiago Neves, dede. Veja os contatos? Que trouxa vai dar dinheiro, vai tudo parar no bolso deles. Os contatos do cruzeiro são brincadeira, só pode. Sérgio é advogado do Perrella. o cruzeiro não levanta mais!!!

      Excluir
  2. Uma coisa que sempre beneficiou o time serviu para ajudar na derrocada e ninguém menciona, a imprensa. A imprensa sempre foi parcial e pro time, não tem o mesmo espirito crítico com o rival. A denuncia veio de pessoas de fora, se não houvesse a denuncia tudo estaria embaixo do tapete. Assim, a mesma imprensa que serviu para adjetivar atuações de dirigentes e jogadores, omitiu fatos graves (a imprensa mineira sabia de tudo que foi noticiado pelo fantástico, mas como é comandada por torcedores do time, tipo rogério correia, bob farias e o juiz fazedor de resultados) e isto atrasou apurações e mudanças.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia,
    Belissima reportagem.
    Concordo com tudo que foi dito.
    Precisamos de pessoas serias, honestas e com o objetivo de salvar o cruzeiro.
    O torcedor que é o maior patrimonio do clube, merece respeito e seriedade.

    Sou cruzeirense apaixonado, mas o melhor para este clube, é que continue na serie B, no proximo ano. Assim, com certeza o dinheiro é curto e estas pessoas desonestas,quem sabe tomam outro rumo.

    O torcedor espera, que alguem de pulso forte, de comando, que não tenha medo de ameaças, que saiba falar NÃO, e que coloque ladrões na cadeia, assuma o nosso CRUZEIRO.

    É vergonhoso, nossa situação.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde. Falando de velhos hábitos, o Clube continua sendo oficina e ou laboratório de "refinamento" de determinado jogador, de todo tipo de má gestão que ainda estão ali, os empresários são também dos maiores canceres, os caras influencia muito, nas decisões destes diretores e até mesmo das questões dos treinadores, somente isso justifica tanto jogador mediano ou ruim mesmo e preterindo á base e porque disso? tem gente ganhando? quais? a permissividade das ações destes empresários é grande e as gestões mesmo do Sérgio continuam com mesmo pensamento dos anteriores. Quanto aos anteriores que tanto mal fizeram, deverão ser investigados e perseguidos dentro dos limites dos direitos de forma implacável. Perfeito também, foi a colocação de uma das pessoas que escreveram aqui...a impressa daqui fez vista grossa, prova disso que ainda ajudaram a premiar gente como este ex presidente entre outros, porque também tinha regalias....

    ResponderExcluir
  5. Excelente ! Os comentários exalam independência, honestidade e são desejos de toda torcida cruzeirense. Parabéns ao colunista !!!

    ResponderExcluir
  6. Onde eu assino? Concordo com tudo que foi exposto!!!

    ResponderExcluir
  7. tem que acabar com estes doczinho de bola os jogadores estao todos mortos nao aguantam correr lancar bola na frente manda tudo embora e acabe com este time logo

    ResponderExcluir
  8. O presidente é advogado do perrela. O perrela criou itair, ajudou a eleger todos os presidentes desde 1995 pra cá. As contratações de AB, EM e NF me lembram o rival nos anos 90 e 2000 contratando vantuil galdino, procopio e cia ltda! Esse SSR tem que sair pra ontem! Ele e todos que possuam ligação com o Perrela! Só assim haverá alguma chance de subir em 2021. Nesse ano, com esse bonde de jogadores medíocres e esse treinador pífio, é lutar para não cair pra C...

    ResponderExcluir
  9. O presidente é advogado do perrela. O perrela criou itair, ajudou a eleger todos os presidentes desde 1995 pra cá. As contratações de AB, EM e NF me lembram o rival nos anos 90 e 2000 contratando vantuil galdino, procopio e cia ltda! Esse SSR tem que sair pra ontem! Ele e todos que possuam ligação com o Perrela! Só assim haverá alguma chance de subir em 2021. Nesse ano, com esse bonde de jogadores medíocres e esse treinador pífio, é lutar para não cair pra C...

    ResponderExcluir
  10. O presidente é advogado do perrela. O perrela criou itair, ajudou a eleger todos os presidentes desde 1995 pra cá. As contratações de AB, EM e NF me lembram o rival nos anos 90 e 2000 contratando vantuil galdino, procopio e cia ltda! Esse SSR tem que sair pra ontem! Ele e todos que possuam ligação com o Perrela! Só assim haverá alguma chance de subir em 2021. Nesse ano, com esse bonde de jogadores medíocres e esse treinador pífio, é lutar para não cair pra C...

    ResponderExcluir
  11. Vamos Reagir, Vamos dar a Volta por cima....🙏🙏

    ResponderExcluir
  12. Melhor é ir logo com um time do sub-20 nesta série B e mandar embora todos estes ditos "titulares" do elenco. Aí sim vamos ver o pessoal jogar com amor ao clube.

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente o Cruzeiro não subirá e se subir, não aguentará a série A.
    Um time com 73% de posse de bola contra o Avaí no Mineirão, e ainda consegue perder. Fica muito difícil.

    ResponderExcluir
  14. É preciso reformatar a forma rígida com que os gestores do Cruzeiro (dirigentes e conselheiros) pensam a gestão do clube; de uns anos para cá, no século XXI, uma série de maus hábitos foi incorporada, impedindo transparência, congelando o crescimento e atrasando modernização na Instituição. Exemplo de más práticas:
    - Mentir em balanço financeiro para esconder graves problemas financeiro, maus negócios e atitudes ilegais;
    - Defender as mentiras alegando que os mandatários precisam estar "fechados com o Cruzeiro" para evitar exposição negativa da situação do clube ou divergências internas;
    - Considerar normal o termino de exercícios financeiros com seguidos prejuízos e seguir gastando valores maiores que as receitas, como se o orçamento fosse inesgotável;
    - Realizar transações obscuras e contratos de gaveta, escondendo os documentos para impedir os responsáveis pela fiscalização de fazer o trabalho necessário para garantir a saúde financeira do clube e a credibilidade da marca;
    - Desequilibrar a equação receita/despesa abusando de aumento progressivo do passivo circulante e recorrer a empréstimos para tentar tapar os buracos deixados pelos juros das dívida, compromissos acima das possibilidades, pagamento de bonificações e premiações acima da realidade;
    - Comprometer as receitas necessárias ao pagamento dos salários, tributos e custeio do funcionamento do clube;
    - Contratar infindáveis auditorias independentes para fazer o trabalho de responsabilidade do conselho na fiscalização da gestão, dando a entender que ninguém no clube tem coragem para se indispor e expor a realidade;
    - Permitir a proliferação desenfreada de cláusulas de confidencialidade nos contratos celebrados, dando a entender que nem a fiscalização a própria fiscalização está autorizada a acessar os documentos dessa caixa de segredos inventada por jogadores, procuradores, empresários e dirigentes.
    A Theranos, startap do Vale do Silício, nos EUA, chegou a ser avaliada pelo mercado americano em 9 bilhões de dólares. Graças às mentiras da ambiciosa CEO, que prometera aos investidores revolucionar o mercado de medicina diagnóstica pelo uso de alta tecnologia em exames de sangue, levantou uma dinheirama. Sempre que confrontada, alegava proteção de segredo tecnológico e escondia sua "tecnologia" da revisão de seus pares, até que a fraude foi revelada. O negócio faliu em dois anos.
    Ainda nos EUA a Enron Corporation, gigante do ramo de energia e commodities, se notabilizou por protagonizar um dos maiores escândalos contáveis da história, inflando lucros e escondendo dívidas bilionárias que levaram investidores à perda de cerca de 74 bilhões de dólares e queda das ações de 90 para 1 dolar. O faturamento antes do escândalo em 2000 era de 101 bilhões de dólares.
    No Brasil o escândalo de corrupção na Petrobrás levou a empresa, na Corte Federal de Nova Iorque, a pagar num acordo de bilhões de dólares (fala-se em 3 bilhões) para reparar prejuízos de investidores americanos em uma ação coletiva, enquanto quase nada foi feito pelos investidores brasileiros, que amargaram prejuízos. No Brasil a empresa alegou ter sido vítima de ex-diretores que aceitaram propinas de empreiteiras para fraudar licitações; nos EUA foi alegado frouxidão dos mecanismos de controle interno (mas nenhuma das empresas de auditoria ajudaram a pagar as multas).
    No caso do Cruzeiro tudo indica que a atitude mental com que os mandatários encarou as coisas relativas à gestão do clube levaria tudo rumo ao buraco, com possibilidade de desaparecimento da instituição ou de amargos dias de reconstrução (que ainda não começou).
    A velha mentalidade que conduziu o clube ao caos continua atravancando a reconstrução e os reizinhos continuam apostos: mentiram, mentem e mentirão. Manobram e não saem do clube; alegam pertencer a determinadas "dinastias de grandes cruzeirenses".

    ResponderExcluir
  15. Felício Brandi e Cármine Furletti!

    ResponderExcluir
  16. Verdades com certeza. A queda para a série C arrumará tudo isso. tranquilidade é a palavra de ordem no momento. A Portuguesa de Minas vai arrebentar na série C ano que vem..

    ResponderExcluir
  17. Concordo com muita coisa que foi dita mas discordo com as criticas para alguns jogadores. Esses jogadores citados, no caso do Fabio, Léo e Henrique além de jogadores são torcedores do clube, e se estão no clube é porque querem fazer a diferença, caso contrário estariam em outro clube da seria A.
    A diretoria de futebol tá uma vergonha mesmo, tinha que trocar todo mundo e colocar pessoas capacitadas.
    Agora o que mais me preocupa é que o presidente tá fazendo dividas para o ano que vem, principalmente com jogadores, contando com o acesso para a serie A, mas com esse futebol que já jogando a serie A tá distante, mas as dividas não.
    Acho que a melhor opção seria o clube vira uma empresa, ter um dono, aí as coisas seriam diferentes.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.