Um Novo Cruzeiro para quem?

Foto: Site do Cruzeiro
 

O Cruzeiro, inegavelmente, atravessa o pior momento de sua história quase centenária, fora de campo e, por consequência, dentro das quatro linhas.

 

São vários os fatores que levaram o clube a um ciclo vicioso; parece que estamos em um beco sem saída e, mesmo com muitos esforços em prol de uma reconstrução, há sempre uma pedra no meio do caminho para atrapalhar.

 

As últimas gestões do clube foram desastrosas para nossa sustentabilidade, seja por problemas administrativos, por ingerência financeira ou, até mesmo, por uma possível corrupção. 

 

Alguns gastaram dinheiro que não tinham, na tentativa de conquistar títulos. Alegavam que jogadores ou treinadores eram contratados por meio de parcerias, de investidores, de patrocínio. Contratos estapafúrdios e totalmente danosos ao Cruzeiro foram realizados, sem a menor cerimônia.

 

Ou podemos nos esquecer das perdas financeiras e técnicas com alguns jogadores contratados nos últimos anos?

 

Ou nos esquecer das incontáveis dívidas deixadas na FIFA pela gestão de Gilvan de Pinho Tavares? Os casos mais recentes e que fazem a torcida enlouquecer: Denílson e William Bigode.

 

Pior ainda, a bomba jogada pela gestão Wágner Pires de Sá, que praticamente destruiu o Cruzeiro. Praticamente mesmo. Quase R$ 400 milhões de déficit em apenas uma temporada. Jogadores contratados por cifras astronômicas e, como resultado, o pior desempenho de nossa história no Campeonato Brasileiro. Incontáveis ações na justiça, diversas punições, um rombo financeiro gigantesco e, tudo isso, infelizmente, ainda sem punição alguma aos envolvidos.

 

A nossa dívida aumenta exponencialmente, a cada ano. E não há clube que suporte tanta incompetência e tantos desmandos.

 

O Cruzeiro virou um mais do mesmo sem fim. É uma triste constatação. Mesmo com o entra e sai de presidentes, diretores, funcionários, jogadores, técnicos e várias pessoas, o centro de poder não muda.

 

Não temos um conselho atuante. Se tivéssemos, os mandos e desmandos das últimas gestões não passariam batido por tanto tempo.

 

Ainda assim, as pessoas que tomam decisões importantes para o futuro do clube sempre são as mesmas. Por muitas vezes, buscando ganhos pessoais por meio da instituição Cruzeiro Esporte Clube. Isso é fato e notório.

 

É inexplicável que pessoas como Benecy Queiróz ou Renê Salviano ainda tenham tanta influência dentro do clube e ainda continuem a trabalhar por lá.

 

Não dá para entender como Gilvan ainda continue a participar de tantas coisas no Cruzeiro. Em processos de eleição, na reformulação do estatuto do clube. Que Novo Cruzeiro é esse?

 

As brigas políticas têm afetado diretamente os rumos do clube. Nós perdemos 6 pontos na série B, pelo não pagamento de uma dívida pela contratação do jogador Denílson, meramente por desacertos políticos e por disputa de egos. No momento em que mais precisamos de união (e, pelo amor de Deus, não falo aqui sobre aquela família), e de paz, o torcedor celeste é obrigado a conviver com uma bagunça sem fim.

 

Adicionalmente, o nosso departamento de futebol está abandonado. Desde a farra do dinheiro da última gestão, a conversa agora é a de contenção de gastos. Teto salarial, contratações mais modestas e, teoricamente, adequadas à nossa atual situação financeira.

 

Mas, como que podemos levar essa conversa à sério se o clube gastou tanto em diversas contratações em 2020? João Lucas, Roberson, Giovanni, Éverton Felipe, Marcelo Moreno, Ramon e tantos outros jogadores. Muitos deles que pouco acrescentam ao time. Não trazem retorno técnico, tampouco financeiro. Além disso, tiram o espaço de jogadores da categoria de base.

 

Esse tipo de austeridade não leva a lugar algum. É uma economia pessimamente administrada.

 

No comando técnico, até o momento, apenas decepções. A manutenção de Adilson Batista no começo da temporada foi muito temerária. A sua saída e a chegada de Enderson Moreira trouxe um novo ânimo ao torcedor, principalmente pelos bons resultados iniciais.

 

Contudo, toda essa euforia já se foi. Nos últimos jogos, a equipe tem se comportado muito mal e apresentado um desempenho abaixo da crítica. As escalações são extremamente questionáveis e as substituições são aqueles famosos “seis por meia dúzia”. Não há uma variação tática, uma jogada trabalhada. Não há nem um esboço de time dentro de campo, para justificar uma partida de futebol.

 

E as entrevistas pós-jogo do nosso técnico têm deixado a torcida bastante preocupada. Um pensamento mediano. Um conformismo extremo. Uma evolução de desempenho que só a comissão técnica e a diretoria conseguem perceber. Veja só, Enderson, 10 pontos em 21 não está nem próximo de um desempenho razoável. Com a perda dos 6 pontos, então, é ainda pior.

 

Cadê o Deivid? Cadê o Ricardo Drubscky? Cadê os responsáveis pelo nosso futebol?

 

Não quero questionar o esforço do atual presidente, mas é preciso que as cobranças aconteçam. Não vemos o tal aclamado e prometido Novo Cruzeiro. Ainda falta muito para isso. Sem uma mudança estrutural e, principalmente, de pessoas, o slogan usado pela nossa atual diretoria será em vão.

 

E, agora, falando sobre o dentro de campo, os resultados não aparecem há tempos. Você, torcedor, se lembra da última vez que comemorou de verdade uma vitória do Cruzeiro? Que ficou genuinamente feliz com o clube e sem estar preocupado com essa situação pela qual vivemos? Conseguiu imaginar, mesmo que por um instante, que já estávamos saindo do fundo do poço? Pois é, ultimamente, está complicado.

 

O torcedor cruzeirense já se acostumou com tantas notícias ruins, inclusive de âmbito criminal. Não há um dia de paz para a nossa torcida.

 

Mas, por incrível que pareça, mesmo após esses últimos reveses, eu ainda estou ansioso pela próxima partida do Cruzeiro. Mesmo com a manutenção do treinador, das explicações dadas pelo presidente em sua live semanal e sabendo que há grandes chances de que o nosso desempenho não seja tão bom, eu continuo na expectativa de que as coisas, finalmente, comecem a melhorar para o nosso lado.

 

Para que saíamos deste mais do mesmo e entremos em um ciclo virtuoso. Para que retomemos nossa trajetória de páginas heroicas e imortais. Para que voltemos a ser o nosso conhecido Cruzeiro.

 

E ainda veremos, pode esperar. 

 

Para cima deles, Cruzeiro.

11 comentários:

  1. A torcida precisa parar com essa história que gastou para ganhar títulos. Até pq a gastanca errada foi sem títulos..veja os contratos, veja cada bomba que está custando horrores. É estranho mas os grandes gastos não estão associados a títulos. O ano de maior déficit com os mais absurdos contratos foi o ano da queda para a segunda divisão. Desculpe me mas o cruzeiro não gastou muito para ganhar títulos, e sim para cair. É incrível contrata um jogador , vende o jogador e depois ainda está depois está devendo mais ainda!!! O cruzeiro teve chance sim de ganhar e ser sustentável. Mas um clube moderno tem que ter transparência, e transparência não daria dinheiro para essa gente. paremos com análises erradas , o Cruzeiro gastou para cair e não para ganhar!!+ Quando ganhava o faturamento crescia. Veja cada contratação feita!! Veja os argumentos errados para não pagar o minas arena. O cruzeiro foi administrado como uma empresa sim, daquelas que o dono administra para quebrar, ficar rico, deixar as dividas e não pagar credores e depois abrir outra ...mas não dá para fazer isso em um clube. E provando que nada mudou, o Sérgio nomeou o beletti embaixador do cruzeiro no exterior, o último embaixador, Raul plasmam que até hj não sabe o que fazia, tá cobrando 500 mil na justiça, e vai ganhar. imagine quanto vai custar na justiça a nomeação do beletti como embaixador do cruzeiro, que coisa provinciana. Aliás só de ver as entrevistas desse pessoal que quebrou o cruzeiro, dava vergonha, um caipirismo assustador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Inclusive acho que a imprensa nacional e local alimenta isso é muito torcedor vai no embalo, como foi no início da gestão da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA que destruiu o clube. Gilvan foi incompetente e não há dúvidas! Porém ao sair, a dívida do clube girava na cas dos 380 milhões, com orçamentos próximos a esse valor é crescentes, era possivel "puxar o freio de mão" e ZERAR essa divida em um curto espaço de tempo. Haja visto que, ninguém entra pra roubar onde não há o que levar.
      Mas vale ressaltar também que mesmo uma quadrilha formada por Wagner, Itair e Sérgio Nonato não conseguiria um rombo recorde no clube sem a cumplicidade de MUITA GENTE! Não se pode fechar os olhos pro envolvimento de muitos dos conselheiros, não só por omissão, mas também pra relação próxima, a nível de defesa em mídia e redes sociais, por parte dos jogadores e outros profissionais.
      É fácil pesquisar na internet, como ao final de 2017, na transição de mandatos, ambas as diretorias, a que saía e a que entrava, deixavam claro que o clube passava por instabilidade financeira, até com salários atrasados. Mas no mesmo período, a saída de Mano Menezes pro Palmeiras, dada como certa pela gestão Gilvan, sofreu reviravolta, com a nova gestão "convencendo" o treinador a recusar proposta milionária do Palmeiras/Crefisa!
      Na mesma época, o senhor Fred, que hoje acusa o clube de má fé, aceita uma proposta indecente da instituição que, por muitas vezes reclamou na mídia ter mágoa por dívidas da 1 passagem!
      Por várias vezes apareceram propostas duvidosas para Thiago Neves, que as recusava para em seguida receber um aumento, enquanto sua esposa, além de agenciá-lo, angariava novos clientes dentro do elenco, como o capitão "Banana", Henrique! O mesmo que se sentou ao lado do Itair, em coletiva, pra defender a comissão técnica, quando o time parou de dar sorte nos jogos (afinal com Mano, convenhamos, era na sorte!).
      Ainda há o episódio não ficar com Hudson, importantíssimo na Copa do Brasil 2017, pra trazer por valores muito maiores e, lógico, comissões e rachadinhas, Bruno Silva. Sem deixar passar que nesse negócio chegaram a oferecer o Roni, sim o mesmo do Palmeiras que estourou no Athletico!
      E vem Edilson ganhando 500k o maior salário de um lateral, a custo de Alisson e Tony Anderson, este rendendo depois um lucro astronômico pro Grêmio!
      E Dedé volta a jogar, logo renova e, em seguida ganha, sem pedir, novo aumento! TODAS ESSAS NEGOCIAÇÕES COM POMPOSAS COMISSÕES AOS AGENTES/EMPRESÁRIOS.
      Pra resumir, não nos esqueçamos da fala de Sóbis ao sermos eliminados em 2019, pelo Inter, de que havia muita coisa errada.
      Pois ele, Rafinha, Arrascaeta, Romero, Lucas Silva não quiseram ficar. Só porque não eram da panela do Mano? Ou não concordavam com a panela do Itair?

      Excluir
    2. Exato, vê se claramente que não foram os gastos.por título que quebraram o cruzeiro. O cruzeiro virou um local onde todos podiam lucrar,.menos o clube, é claro. E detalhe itair era indicação de quem????? Sempre digo: imagine que uma pessoa administrou um pequeno mercadinho no interior de.minas, esse mercadinho quebrou e esse cara foi processado e condenado. Será que Pedro (supermercado BH que fatura 6 bi por ano) o contrataria para ser o principal executivo e daria a ele plenos.poderes?? Pois é, no cruzeiro aconteceu isso, é a história do itair machado. Esperavam o que? Isso não aconteceria em nenhum outro clube grande do Brasil..nunca um dirigente do Bangu iria virar o principal dirigente de um grande clube Carioca. O cruzeiro se tornou pequeno por escolha na gestão do Wagner. Detalhe: itair parecia ser muito amigo de algumas pessoas...

      Excluir
  2. Torcida não é atuante também, imprensa pouco faz diferente de São Paulo. Então é muito normal tudo isso estar acontecendo.

    ResponderExcluir
  3. O torcedor insensato que não deu crédito para as denúncias, no ano passado, e q ficava gritando: "Mitair, Mitair..." tem grande culpa dessa situação. Conselho comprado, torcida organizada comprada, torcedores incautos q não enxergam a ladroagem e são capazes de tirar da boca dos filhos p doar pra o time... Tem perigo de um time desse dar certo? Eqto os ladrões não forem punidos, a roubalheira vai continuar e os fanáticos torcedores a chorar. Infelizmente, o Cruzeiro já foi grande - hoje, não é mais. Mas, pode voltar a ser.

    ResponderExcluir
  4. A maior vergonha de Minas.....

    ResponderExcluir
  5. Excelente artigo, Thiago Couto, disse tudo! Com exceção de uma coisa que tenho minhas ressalvas: não acho que estas últimas contratações tiraram as chances da base. Os jogadores que subiram receberam e estão recebendo várias chances, mas na verdade nossa base não é tão promissora igual muitos dizem. Há alguns bons jogadores sim, como as já realidade Jadson e Cacá. Já o Maurício, Welinton e Thiago já demonstraram potencial para crescerem. Já os demais, para mim é puro marketing.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde entra técnico sai técnico e não mexe no meio campo tira este lesma do Henrique e Ariel o time vai melhorar também tira o Leo estes 3 jogadores prejudica todo time mas estes treinadores escala e por nome e lamentavel

    ResponderExcluir
  7. Não se esqueçam ou não faça como a imprensa mineira. O "ilustrissímo" Pedro lourenço. Vulgo Pedrinho BH, está encalacrado com a Policia Federal e foi indiciado por tentativa de interferência naquela instituição. Juntamente com outro "ilibado" conselheiro benemérito e ex-figura atuante nos bastidores do clube. O senhor Áecio Cheiro Neves. Hoje mais sumido que calcinha em lua de mel. Acreditam mesmo que com essas pessoas nos bastidores e comandando o clube, vai dar certo? O atual presidente temporário é alidado advogado daquela familia que por anos tomaram conta e cresceram financeiramente, dentro do clube. É cruzeirense, melhor se preparando para o pior. Ou viver somente das conquistas passadas que custaram a falência total e nunca vê o Cruzeiro ser grande como antes. Triste e lamentável para vocês.

    ResponderExcluir
  8. É só tirar o Léo, Henrique e Ariel Cabral, que o time vai crescer e ir pra 1ªdivisão.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.