O intragável Cruzeiro de Enderson Moreira

Foto: Distribuição/Cruzeiro


O Cruzeiro apenas empatou por 1x1 com o CRB, em partida válida pela terceira fase da Copa do Brasil e, com o resultado, está eliminado da competição da qual é hexacampeão, já que fora derrotado por 2x0 no primeiro jogo, em Belo Horizonte.


No confronto de hoje, mais uma vez, o time comandado por Enderson Moreira mostrou um futebol muito pobre; falhas de marcação, erros individuais, erros de passe, muito espaçamento no meio de campo, falta de poderio ofensivo, dentre tantos outros problemas. O atual Cruzeiro, é bem verdade, não faz mal a ninguém. 


Desde o começo da temporada, o clube celeste tem pecado na tomada de decisão do Departamento de Futebol. Ainda com o Conselho Gestor, a permanência de Adilson Batista e a chegada de Ocimar Bolicenho para a direção de Futebol foi altamente questionada por grande parte da torcida, além da contratação de jogadores como Roberson, João Lucas, Machado, Jhonata Robert e Éverton Felipe. 


O elenco, totalmente devastado pela incompetência de anos anteriores, não foi devidamente reforçado. Isso já era claro. Não poderíamos deixar toda a responsabilidade de nossa reconstrução nas mãos da garotada. Ao mesmo tempo, não podemos preterir jogadores da base para utilizar ou contratar jogadores de qualidade duvidosa.


A saída de Adilson Batista e a chegada de Enderson Moreira foi uma tentativa de fazer a equipe jogar, pelo menos, um futebol decente e capaz de levar o Cruzeiro de volta à série A do futebol brasileiro. 


Com a chegada de alguns jogadores, como Raul Cáceres, Marcelo Moreno, Giovanni, Regis, Claudinho e Arthur Caike, a expectativa era de uma melhora considerável no padrão tático e na competitividade do time. Mesmo com a eliminação precoce na primeira fase do Campeonato Mineiro, o inicio foi animador. 


Nas duas primeiras rodadas da série B, o Cruzeiro já recuperou os 6 pontos perdidos com punição imposta pela FIFA (em um erro inaceitável cometido pelo Conselho Gestor, independente de a dívida ser de uma gestão anterior). Após “pagar” os seus pontos negativos, o futebol do Cruzeiro desapareceu. 


Ainda que nas primeiras rodadas o futebol não fosse nada excepcional, a entrega dos jogadores e o poder de reação chamaram logo atenção. Se não houvesse um padrão de jogo definido, a equipe mostrava vontade de vencer. 


Nos últimos jogos, no entanto, nada disso aconteceu. O jogo do Cruzeiro não flui com naturalidade. Os jogadores ficam estáticos, em um esquema já manjado pelos adversários. As escalações do treinador são extremamente duvidosas. As substituições, pragmáticas. Mesmo na vitória contra o Figueirense, o futebol apresentado já fora muito aquém às nossas expectativas. Valeu muito mais pelo resultado fora de casa.


Já a derrota para a Chapecoense mostrou inúmeras deficiências de nossa equipe e uma grande dificuldade na proposição de jogo. O ataque do Cruzeiro pouco agride o adversário. Tão ruim quanto o revés foi o futebol pobre apresentado. 


O sinal amarelo foi ligado contra o Confiança. Com todo respeito, um dos adversários mais fracos da competição e o Cruzeiro fez uma partida paupérrima. Pior ainda, a entrevista coletiva do Enderson Moreira após a partida foi um show de horrores. Me fez lembrar os nossos piores momentos, em que qualquer questionamento mais incisivo era repreendido com uma resposta atravessada. 


São poucos jogos após a volta pela pandemia, mas o tempo de trabalho antes do retorno já poderia ser suficiente para a equipe apresentar um desempenho bem melhor. Não apenas a questão do futebol praticado, mas aquela entrega e gana pela vitória se esvaíram. Não vimos um Cruzeiro vibrante dentro de campo, mas um time apático. Em certos momentos, um amontoado de jogadores em busca de um lance isolado, sem inspiração, sem uma construção coletiva. 


A partida contra o CRB veio apenas para corroborar tudo isso. Com um primeiro tempo até razoável, com bastante posse de bola (mesmo que improdutiva em alguns momentos), um pênalti não marcado e o gol marcado por Giovanni já nos acréscimos, a torcida se encheu de esperança pela reversão no segundo tempo. Contudo, o retorno do intervalo mostrou o time com o mesmo problema de outros jogos. 


Após o gol adversário, em falha grotesca do zagueiro Léo, o time não incomodou tanto no ataque. A entrada do estreante Airton ainda serviu para colocar fogo no jogo, mas nada suficiente para inflamar os seus companheiros de equipe. Na verdade, o Cruzeiro piorou consideravelmente após o gol sofrido. Aliado a isso, considero que houve uma demora excessiva nas substituições, para um time que precisava de 2 gols para levar o confronto à disputa de pênaltis. 


Independente dos desfalques, da situação desfavorável com o placar adverso no primeiro jogo, sempre esperamos um Cruzeiro em busca pela vitória, em qualquer partida. O sinal amarelo já vai se tornando vermelho.


O Cruzeiro não pode, em hipótese alguma, ficar outra temporada na segunda divisão. O impacto técnico seria terrível. O financeiro, então, é melhor nem pensar. Mesmo com toda a dedicação da diretoria em gerar engajamento e sinergia entre clube e torcida, além de todos os esforços para resgatar um clube dilacerado, é hora da diretoria mostrar serviço no futebol. O desempenho atual não pode ser considerado normal para a nossa grandeza. 


É preciso cobrar agora, enquanto há tempo de melhorar nossa situação. Antes que seja tarde demais. Cobrar a comissão técnica, os jogadores, todo mundo. Mas do jeito que está, não vamos alcançar nosso objetivo principal. 


Em uma transmissão de treino, logo no retorno aos trabalhos, uma emissora de televisão captou o técnico Enderson Moreira dizendo que o Cruzeiro seria um time intragável, no sentido de que seria muito difícil nos enfrentar. 


No entanto, Enderson, está intragável é assistir aos jogos do Cruzeiro e não ver algo minimamente parecido com futebol. 


Esperamos mudanças e melhores resultados o mais rápido possível. Tragam o nosso Cruzeiro de volta! 


Acorda, Cruzeiro! 

5 comentários:

  1. Maria caiu,faliu e nunca mais voltou...

    ResponderExcluir
  2. Thiago. Bem coerente seu texto com a realizada atual do Cruzeiro

    ResponderExcluir
  3. O comentario está correto. Houve um atrazo muito grande para iniciar a preparação da equipe. O time, de fato, está muito ruin. Não tem entrozamento,muda todo jogo a escalação é diferente. Tem que haver uma nova revolução interna.

    ResponderExcluir
  4. É não volta para serie A, vai cair para a C.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia a todos.
    O técnico Enderson Moreira dizendo que o Cruzeiro seria um time intragável, no sentido de que seria muito difícil nos enfrentar.

    Intragavel é ve-lo no cruzeiro. Mais um paneleiro.
    Acorda presidente.
    Precisamos de um bom tecnico.
    Sugestão: Tecnico do Santo Andre de SP. + alguns jogadores.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.