Header Ads


Que não haja sócios ou não-sócios, apenas torcida do Cruzeiro

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

O adiamento da partida entre Cruzeiro e Deportivo Lara para o dia 27/03 possibilitou um tempo maior de preparação e treinamentos para o nosso time, mas deixou a torcida com saudades da Copa Libertadores.

É hora de falar a verdade. Campeonato Mineiro é sem graça demais. Ainda mais quando o próprio Cruzeiro demonstrou, durante as rodadas iniciais, que não estava tão interessado na disputa do campeonato regional.

No último final de semana, vencemos o Tupi, sem sustos, por 3x0. Vitória protocolar e nada menos do que esperávamos, tamanha a superioridade em relação ao adversário. Ainda assim, o time celeste chega à última rodada da primeira fase sem condições de brigar pelo primeiro lugar.

Nada que seja desesperador, mas apenas um motivo a mais para que o time entre ainda mais concentrado nas partidas eliminatórias, a partir do próximo sábado. O campeonato pode não ser lá essas coisas, só que é o Cruzeiro que está em campo e precisa mostrar a sua força.

O jogo desta quarta-feira, contra a Caldense, no Mineirão, definirá o nosso lugar na classificação e o nosso adversário nas quartas-de-final.

Até o momento, o Cruzeiro é o único time invicto dentre as 40 equipes que disputam a série A e B do Campeonato Brasileiro. No entanto, em termos de Campeonato Mineiro, deixamos a desejar em algumas partidas, principalmente contra equipes teoricamente mais fracas, como Boa Esporte e URT, em que os jogadores estavam visivelmente desinteressados e desconcentrados. Resultado: colecionamos 4 empates nesta primeira fase, 2 deles nos considerados clássicos, contra América e Alt. Mineiro.

O desinteresse pelo campeonato regional também foi demonstrado, de certa forma, pela diretoria. Durante essa primeira fase, não vi tantos esforços para convocar a torcida aos jogos do Cruzeiro no Mineirão. No ano passado, por exemplo, houve muitas promoções para os jogos do Campeonato Mineiro e, com isso, a nossa média de público estava entre as maiores do país.

Já neste ano, foram poucos os atrativos para o torcedor celeste. Talvez, pela mudança ocorrida no programa de sócio torcedor, já que, antes, muitos sócios conseguiam adquirir mais ingressos com preços reduzidos para esses jogos com pouca expectativa de público. Hoje já é algo mais difícil. Cada sócio tem direito a apenas o seu ingresso e, caso deseje comprar mais ingressos, deve acessar um site específico ou comparecer à bilheteria. No entanto, sem preços promocionais para esses casos.

Além disso, as alterações nas categorias de sócio, além da questão do vencimento de pontos de fidelidade (os chamados Cruzeiros), ainda sem uma resposta concreta do clube para com o seu torcedor, contribuíram para o descontentamento de algumas pessoas.

Junta-se à isso um campeonato fraco e desinteressante.

Vamos ser sinceros. Só os guerreiros comparecem em jogos da primeira fase do Campeonato Mineiro.

Faltou à diretoria, para atrair mais público, colocar os preços mais baixos, fazer promoções, voltar com os eventos pré-jogo na esplanada. A experiência do torcedor para ir ao Mineirão pode ser aprimorada.

É algo para a diretoria repensar. É preciso reaproximar o torcedor do clube e dar melhores condições para que a China Azul compareça ao estádio. Novas categorias podem ser criadas, para atender especificidades de torcedores do interior ou aos cadeirantes, por exemplo, cada qual com seus benefícios e preços diferenciados.

Os torcedores são apaixonados pelo clube e não devem ser tratados como meros clientes, assim como as pessoas que não têm condições de se associar ao clube precisam de ser respeitadas também.

No final das contas, que não haja os sócios e os não-sócios, mas, sim, a torcida do Cruzeiro.

Quando estivermos na disputa de torneios realmente importantes, precisamos estar presentes; vamos comparecer em peso. Na Copa do Brasil, no Brasileirão e, principalmente, na Copa Libertadores, precisamos lotar o Mineirão e mostrar a força da China Azul.

Nos últimos anos, as nossas conquistas foram construídas na base da sinergia entre o time e a torcida. Naqueles momentos em que o time mais precisa, os gritos vindos das arquibancadas carregam o Cruzeiro rumo às glórias e aos títulos. A história não mente, jamais vai mudar. Temos uma equipe com um trabalho consolidado, um time difícil de ser batido e acostumado à grandes jogos, um elenco bem qualificado e equilibrado. Temos todos os motivos para sonhar com grandes conquistas.

Quando a bola rolar, esqueçamos as nossas preferências táticas, técnicas e políticas. É o Cruzeiro que estará dentro de campo e precisará, mais do que nunca, do nosso apoio. Pelo Penta, pelo Hepta e pelo sonhado Tri.

Para cima deles. Contra tudo e contra todos, nas batalhas com o Cruzeiro.

3 comentários:

  1. É Thiago, o CRUZEIRO pisou na bola com o torcedor, até hoje estou esperando uma resposta sobre os CRUZEIROS expirados. Moro no interior e é mais dificil pra resgatar e o Clube memsmo assim não faz nada pra simplificar pra gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, você e milhares estão esperando ao menos um pouco de respeito.

      Excluir
  2. Thiago, menos né, se a diretoria dá algumas pisadas na bola (tem muito mais do que você sugere), a torcida também não fica atrás... NÃO QUERO ser colocado no mesmo balaio de simpatizante que vai para a arquibancada para ficar brincando de selfie, teclando nas redes sociais, com joguinho, ou atrapalhando torcedores verem o jogo e torcer... simpatizante NÃO É TORCEDOR !

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.