Header Ads


Vamos, Cruzeiro. Ainda podemos reverter esse roubo descarado

Foto: AFP / EITAN ABRAMOVICH

O Cruzeiro saiu derrotado pelo Boca Juniors, por 2x0, no primeiro jogo das quartas-de-final da Libertadores, no La Bombonera. 

Na noite de ontem, nós presenciamos um dos maiores erros de arbitragem na história do futebol, com a totalmente injusta expulsão do nosso zagueiro Dedé, após uma disputa de jogo com o goleiro adversário.

Para piorar, esse erro foi referendado com uma consulta ao árbitro de vídeo, o chamado VAR. Ou seja, o juiz consultou as imagens do lance e, inexplicavelmente, conseguiu enxergar uma agressão do “Mito”, resultando no cartão vermelho. Absurdo!

Nada surpreende, considerando a várzea que se tornou a Conmebol e suas competições. O histórico de prejuízos contra os times brasileiros só aumenta, e nem o VAR serviu para resolver os problemas de arbitragem. Ademais, essa instituição trabalha em prol de seus protegidos, como os times argentinos. Apenas neste ano, Boca Juniors e River Plate escalaram jogadores de maneira irregular e não foram punidos; ao contrário do Santos, que foi punido e eventualmente eliminado da competição.

Você, torcedor de outra equipe e que hoje tripudia do Cruzeiro, saiba que, amanhã, pode ser o seu time. Se os times brasileiros não se unirem, fora de campo, contra as atrocidades cometidas pela Conmebol, dificilmente esse cenário mudará. Infelizmente, somos comandados por outra instituição de caráter duvidoso, a CBF e, vale lembrar do episódio recente da votação na sede de uma futura Copa do Mundo, em que o presidente da CBF se equivocou na hora do voto e gerou uma indisposição com a Conmebol.

Dentro de campo, o time celeste fez uma partida muito ruim. O ataque praticamente inexistiu e não criou praticamente nada durante todo o jogo. Os jogadores precisam entender que, em alguns momentos, os chutes de fora da área podem ser uma saída para defesas mais fechadas. Além disso, é preciso mais mobilidade e velocidade na conclusão das jogadas.

A ausência de Arrascaeta foi muito prejudicial também. Rafinha, o seu substituto, sentiu a pressão e jogou muito mal. Na defesa, Dedé nos salvava até a atrocidade cometida pelo árbitro. Egídio sofreu bastante com as investidas do ataque adversário e Edilson não esteve bem novamente, inclusive, com uma falha no segundo gol. A dupla de volantes perdeu muitas bolas; o time errou muitos passes. Os gols adversários saíram em lances de desatenção do Cruzeiro. Enfim, uma jornada desastrosa em Buenos Aires.

A situação é muito complicada para reverter, é verdade. Mas impossível? Absolutamente não.

Quem duvida de nossa classificação, desconhece a tradição das 5 estrelas que carregamos no peito; desconhece nossas páginas heroicas imortais.

Será preciso mudar muita coisa nessas duas semanas até o segundo jogo. O Cruzeiro precisará entrar em campo focado, com sangue nos olhos, com intensidade no ataque, seguro na defesa, enfim, precisaremos de uma partida perfeita para avançar.

Para isso, é hora da diretoria reduzir o preço dos ingressos. O Mineirão precisa estar lotado, como um campo de batalha. Deixem que a torcida carregue esse time novamente. Faremos desse jogo um espetáculo nunca antes visto, podem ter certeza. Desde o apoio aos nossos jogadores, até uma bela festa dentro e fora do estádio; do início ao fim. E, tomara, com a classificação.

É a nossa única chance. Uma união da torcida com o time. Não podemos desistir, não agora. Para que eles saibam que entraremos em campo, jogaremos juntos, sairemos do Mineirão sem voz.

Sei que é difícil; ainda estamos com as marcas dessa derrota de ontem. Mas nunca duvidem do Cruzeiro e de nossa torcida. Vamos ter esperança.

Antes, temos compromissos pelo Brasileiro, além de um jogo decisivo pela Copa do Brasil contra o Palmeiras. Hora de mostrar a nossa força!

Para cima deles, Cruzeiro. Contra arbitragem, contra Conmebol, contra qualquer adversário, contra tudo e contra todos. 

14 comentários:

  1. Faltou levar os apitadores da FMFud.... Esses sim, passam o RURALITO inteiro ajudando esses timecos da capital. NÃO SE MUDA A DECISÃO DO CAMPO. Reclama com o bispo, com o papa!!!

    ResponderExcluir
  2. o cara quebra até o maxilar do goleiro, e ainda dizem que a expulsão foi roubada. Para ne. Devia deixar ele fora do futebol era por uns 3 meses......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. as regras/punições deveriam ser melhor definidas, agrediu? fica afastado por periodo igual ao agredido e ponto.

      Excluir
  3. os goles do Boca também foi roubado ????? a chorar na igreja Cruzeiro.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lugar de galinha é no poleiro, seu zé mané, atleticano deve conversar com cruzeirenses de crista abaixada porque vocês não tem historia e nunca vão ter porque o time de vocês é pequeno.
      SALVE 6 X 1 ETERNO (RSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSR)

      Excluir
  4. PQP...quanto vitimismo, aposto se fosse ao contrário teria dito: faz parte do jogo! quando a imprensa tendenciosa entra em jogo, é nítido!

    ResponderExcluir
  5. Fora Sorbis, Tiago Neves... enganador.. Arrascaeta...Canôa Barcos ...erram demais,, alias nem de graça os clubes querem!!!

    ResponderExcluir
  6. Vcs sao frangas..e veram a classificacao do cruzeirao no sofa e chupando o cabo do secador...kkkkkk

    ResponderExcluir
  7. o arbitro errou sim, mas o cruzeiro perdeu porque jogou mal

    ResponderExcluir
  8. Agora ficam chorando por um beque meia-boca, eu disse boca?, cadê o elenco nota 10?
    Jogaram como um timinho, como são. Se agarrem na Copa do Brasil, Libertadores já era.
    Ah não se esqueçam quando são beneficiados (segunda partida da final do Mineiro-18) joguem o jogo, chore na cama que é lugar quente. #euseiquevocetreme

    ResponderExcluir
  9. esse cruzeirinho só me dá alegria...time de merda como disse o Riascos...Em relação à expulsão o cruzeiro vai levar o Boca no Pau?

    ResponderExcluir
  10. Imagine um negão daquele com quase 2 metros, numa velocidade enorme, descontrolado, sai chifrando tudo pela frente e quebra o maxilar do goleiro... O Cartão foi merecido sim. Pode não ter sido 100% proposital, mas foi jogada perigosa e desproporcional.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.