Header Ads


Em busca da América, a La Bombonera virou ponto turístico! Isso aqui é Cruzeiro!

Pedro Vilela/GettyImages

16 de Março de 1994. Nesse dia, o Boca Juniors sentiu o que é perder para a La Bestia Negra jogando em seus domínios, no lendário estádio de La Bombonera. Mesmo com os milhares de argentinos empurrando a equipe xeneize, Paulo Roberto e Roberto Gaúcho trataram de demonstrar aos hermanos que nossa camisa azul e branca é tão pesada quanto a deles e, por isso, nenhuma circunstância desfavorável impediria um triunfo celeste.

Hoje, 24 anos depois, vencer no estádio mais acanhado do mundo serviria para dar uma baita confiança a um grupo cascudo, sangue frio e inteligente. Precisamos ter equilíbrio. A pressão existirá durante toda a partida, mas confiamos plenamente em nossos guerreiros. Lutar e conquistar são características exclusivas de times copeiros como Boca Juniors e Cruzeiro. Ainda assim, mesmo que seja necessário utilizar o desfibrilador, vamos bater todos os oponentes que ousarem cruzar o nosso caminho.

O sistema de jogo do professor Mano Menezes se encaixa perfeitamente em jogos de competições no formato mata-mata, principalmente, na Copa Libertadores. Iremos jogar na defensiva, esperando a hora para dar o bote e fazer os gols nas oportunidades que aparecerem. Batemos oponentes duríssimos fora de casa na temporada e vamos conseguir mais uma vez. É preciso respeitar um hexacampeão, mas jamais podemos temê-los. A imensa constelação azul ficará ainda mais brilhante após o embate.

As quartas de finais reservaram o nosso maior rival na competição: são três vitórias do Boca, três do Cruzeiro e um empate, além de sete gols marcados para cada um. Está na hora de desequilibrar o confronto. E que seja já na Argentina! Desta forma, os 2 mil cruzeirenses na La Bombonera representarão os 8 milhões de corações enérgicos ao decorrer dos "infinitos" 90 minutos. 

Alô, Boca! Segure as calças, pois isso aqui é Cruzeiro! Seremos tricampeões, Nação Azul..



Um comentário:

Tecnologia do Blogger.