Header Ads


08 de Março: um dia azul estrelado e das mulheres

Foto: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação

Ah, o dia 8 de Março. Hoje, não falaremos apenas sobre esportes, mais especificamente do Cruzeiro, ou sobre a vitória de 3 x 0, ontem, contra a URT.

Sim. Você chegou ao O Maior de Minas e, é verdade, nosso assunto aqui é o nosso querido clube azul, cinco estrelas.

Mas hoje é um dia especial, certo? É o Dia Internacional da Mulher.

Quem assistiu à partida do Cruzeiro ontem, pôde acompanhar várias coisas: o lançamento oficial do nosso novo Manto; um primeiro tempo muito bom do nosso time, com várias chances de gol criadas e concretizadas; Rafael Sóbis, incrivelmente, jogando bem; um segundo tempo com freio de mão puxado, com o time guardando forças para compromissos futuros.

Porém, um ponto muito importante precisa ser destacado: a presença feminina no Mineirão. De acordo com os dados divulgados pelo clube, foram cerca de 11 mil mulheres presentes ao estádio. Considerando o total de pessoas presentes, representou mais de 50% do público. E isso é muito significativo.

Os jogadores entraram em campo com a hashtag #QuebreOSilêncio na camisa. A campanha, que conta com o apoio do Cruzeiro (cruzeirosolidario.com.br/quebreosilencio), tem como objetivo incentivar o combate à violência contra a mulher, por meio de canais de denúncia e ações efetivas, lutar contra o preconceito de gênero e buscar a equidade, direitos iguais independentemente de qualquer coisa.

Vale lembrar que, no ano passado, o Cruzeiro apoiou outra campanha, na qual houve a divulgação de números alarmantes de violência contra a mulher.

É importante destacar, também, as iniciativas promovidas por outras instituições, inclusive a do nosso rival, no jogo do último domingo, com a divulgação do telefone para denúncias (180) e apoio do Instituto Maria da Penha. Todas essas iniciativas são muito importantes e muito válidas. É preciso, de verdade, que essa questão de violência, principalmente contra a mulher, seja resolvida ou, pelo menos, amenizada. É muito triste ler os noticiários e constatar o aumento de casos de violência doméstica, de assédios moral e sexual, a desigualdade de oportunidades, dentre outras coisas.

O esporte pode e deve ser usado para promover esse tipo de campanha, além de servir como instrumento de incentivo à melhoria da sociedade. Então, Cruzeiro e todos os outros times, porque não apoiar o esporte feminino da mesma maneira que apoiam o masculino? Queremos ver um time de futebol feminino, de vôlei feminino, de basquete, seja o que for, mas que haja um incentivo real e não apenas algo para se mostrar na mídia. E que momentos como o do jogo de ontem, com uma presença feminina muito grande, aconteçam sempre, independente de data. Que o esporte sirva como meio de inclusão e de respeito.

A cada ano, o 08 de Março é o dia do reconhecimento do papel da mulher em nossa sociedade, da busca pela equidade, do combate à violência. Ninguém é melhor que o outro. Já está passando da hora de sabermos que o lugar da mulher é onde ela quiser, e no estádio de futebol não pode ser diferente.

Por isso, nós, do O Maior de Minas, desejamos um parabéns mais que especial a todas as mulheres por esse dia. Seja você cruzeirense (um beijo, Edimara!), ou torcedora de outro time (um beijo, mãe!), seja Maria, seja quem for, hoje e sempre, o dia é seu!

Para finalizar, transcrevo, aqui, uma frase que li hoje, a respeito do Dia Internacional da Mulher: “Valioso é ter liberdade de escolha. É ter direitos, responsabilidades e oportunidades iguais. É viver sem preconceitos, sem barreiras. Valioso é ter o seu lugar, seja lá onde você considere ser o seu lugar”. Que seja assim, não apenas a cada 8 de Março, mas durante todos os outros dias do ano. Ainda há um longo caminho a percorrer.

Dá-lhe, Cruzeiro!

2 comentários:

  1. Muito legal seu texto Thiago,assim como as mulheres da Inglaterra que conseguiram as primeiras vitorias para as mulheres do mundo no século passado,esperamos que avanços na equalidade aconteçam em breve.E tudo isso vai ficar muito mais bonito com o nosso Cruzeiro levantando troféu atrás de troféu,para nos matar de alegria e matar o outro lado da lagoa de raiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Isso mesmo. Precisamos avançar muito nessa questão da equidade de gênero! E, com os títulos do Cruzeiro, tudo fica melhor, com certeza!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.