Header Ads


Cruzeiro, eu te apoio até o final!

Que as reclamações fiquem para dezembro. Chegou a hora da torcida fechar com o Cruzeiro para valer
Entramos em agosto e praticamente metade do Brasileirão já se foi. Geralmente protagonista, o Cruzeiro amarga sua pior campanha na era dos pontos corridos até o momento. Um time que oscila, que não faz gols e os toma facilmente. Ainda assim, reside uma esperança de acerto para um futuro breve, para que as coisas voltem aos eixos o mais rápido possível.


Acho que chegou a hora de jogar a sujeira para debaixo do tapete momentaneamente e focar em um bem maior chamado Cruzeiro. Tudo bem que foram muitos os erros na temporada, fora e dentro de campo. Trocar de treinadores em demasia geralmente não é boa ideia, mas chegamos a um cenário de constantes insucessos que fizeram o clube e Mano Menezes terem uma segunda chance.


Mano chega em um cenário um pouco melhor do que em 2015. Tem um elenco com mais opções em mãos, um time melhor encaminhado pelo seu antecessor e algumas rodadas de bônus. Contra o treinador, existe a pontuação mais baixa, 6 pontos a menos do que ano passado.


Perder para o Santos na Vila Belmiro não é algo anormal para ninguém. O aproveitamento da equipe paulista nos últimos 12 meses em casa ultrapassa 90%. Dorival Júnior perdeu apenas uma partida em seu estádio no período. E a partida do Cruzeiro, no geral, foi boa. O enredo é que foi o de sempre, e ele não é nada bom.


Por mais que todos estejamos putos com a falta de eficiência do ataque e com os erros bobos da defesa, e por mais que alguns jogadores não estejam a altura da camisa celeste, chegou aquela famigerada hora do apoio incondicional. Não curto o termo em linhas gerais, mas em emergências ele se faz necessário. Um time de futebol sem sua torcida não é nada. Ainda mais o Cruzeiro, que sempre foi carregado nos braços do povo.


Acho que ao longo dos últimos meses personificamos muito nossos problemas. A cada semana estamos escolhendo um, dois, três culpados. Não que não devam ser cobrados, mas acho que quanto mais botamos a culpa em fulano, beltrano, automática e inconscientemente vamos deixando um bem maior relegado a segundo plano. E este segundo plano é o Cruzeiro.


Gilvan, Vicintin, Scuro, Deivid, Bento, Willian, Bruno Rodrigo, Bruno Ramires, Lucas, você, eu, todos passaremos. E o Cruzeiro vai continuar. Porque o Cruzeiro é a paixão de milhões, cresceu e se estabeleceu como um dos gigantes do futebol brasileiro porque sempre teve com ele seu torcedor no campo. É preciso que a torcida bote na cabeça que o que está ruim pode piorar e muito.


As duas últimas temporadas do Cruzeiro têm nos sugado uma energia absurda. Eu mesmo cheguei à conclusão depois do gol contra de Lucas ontem que cansei de reclamar. Vou tentar transformar isso em energia positiva e apoio, tentar fazer minha mínima parte para tirar o Cruzeiro dessa.


Espero de coração que os profissionais que lá estão também tenham o mesmo tipo de pensamento e que juntos todos façamos o Cruzeiro ser forte diante da situação e saia dela o mais rápido possível.


Quero tentar deixar meus reclames para dezembro, quando toda a tempestade passar (de novo!) e pedir humildemente para quem me lê que vá ao campo se puder e gaste toda essa energia apoiando, antes, durante e depois. Se não puder ir ao campo, que tente transmitir para o amigo próximo uma energia positiva e formar uma corrente para que esta chave vire logo e de uma vez.


Sofrimento é uma palavra que não combina com o cruzeirense. Superação, sim. A história não mente e jamais vai mudar.

#CruzeiroEuTeApoioAtéOFinal

Por Alisson Guimarães, Trem Azul
Tecnologia do Blogger.