Hora de virar a chave: Rumo a batalha da Série B

 

     Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A eliminação do Cruzeiro na Semifinal do Campeonato Mineiro para o América veio como um motivo de frustração para todos os Cruzeirenses, que na expectativa de ver a equipe com "sangue nos olhos" após uma série de acontecimentos, provocações e erros no jogo de ida no Mineirão, viu um time apático, sem gosto de jogo, sem vontade e que não fez nem o mínimo para merecer a vitória, resultando em mais uma vitória a favor do clube do Horto.

O Cruzeiro fez do Estadual um laboratório imenso para testes focando no necessário para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, ao total foram utilizados 27 jogadores segundo o Superesportes, e apesar da utilização de mais de dois elencos de jogadores, o torcedor do Cruzeiro esperava observar atletas com mais frequência, como é o caso de Marco Antônio, Paulo, Nonoca e Gui Mendes, todos formados na base do Cruzeiro.

Apesar dessas ausências, observamos o reforço Rômulo se consolidar na titularidade, a necessidade da manutenção de Matheus Pereira, Cáceres e Airton, a disposição de Adriano nas partidas e a necessidade de um veterano como peça-chave que é o ídolo Fábio, principal comandante do elenco.
 
O técnico Felipe Conceição sempre dizia que o Estadual e a preparação frente ao Cruzeiro neste período antes da Série B se dividia em etapas, com a observação de jogadores em campo, a adaptação de um padrão e a definição dos atletas que se encaixavam como "principais" no esquema. 

Nesse decorrer do Campeonato Mineiro, nós vimos um Cruzeiro com vastas dificuldades no início, sempre frustrado, sem encaixe e estabilidade, mas que após a paralisação do futebol, soube demonstrar uma evolução, estabeleceu um certo padrão de esquema tático e que mostrou buscar o futebol que necessita, resultando em uma vitória no clássico contra o Atlético, na classificação ao mata-mata, além de chegar a Terceira Fase da Copa do Brasil.

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

É fato que o objetivo do Cruzeiro para o ano do centenário é somente um, construir uma equipe competitiva, estável e dedicada em buscar o acesso para a Série A 2022, todo o processo de evolução é necessário para caminhar rumo ao G4 da Série B no final de novembro, mas também é fato de que as limitações e a ausência de peças em alguns setores que façam jus ao objetivo são um peso enorme, são irregularidades que necessitam ser supridas através de reforços para assim virar a chave de uma vez e alcance o acesso.

Nós vemos na defesa como o menino Weverton se esforça para se firmar no elenco desde a saída do Manoel, entretanto, para o peso de jogar a maior Série B da história, se faz necessário trazer alguém que estabeleça melhor um "norte" para o setor defensivo, os vastos erros do Weverton nos jogos de ida e volta contra o América mostraram isso, o garoto ainda tem muito a evoluir e se adaptar sem precipitações.

O Meio de Campo é um dos setores mais contestados na irregularidade da equipe, Matheus Barbosa, um dos contratados no "pacotão" do clube antes do Mineiro foi alvo de críticas muitas vezes ao decorrer do campeonato pelas poucas aparições em campo nos jogos e mesmo assim tendo insistência na sua titularidade. 

Além disso, o banco de reservas não apresenta jogadores ao setor que consigam regular as limitações do setor, é o caso de Jadson que é contestado desde seu retorno pelo pífio futebol apresentado, Matheus Neris que veio na expectativa de ser um bom reforço, mas que até então não apresentou o que veio fazer e somar ao Cruzeiro. 

Falta ao setor uma meia de criação que dê liga e ritmo de jogo, é sempre uma dúvida sobre o posicionamento do Rômulo neste meio, mas o mesmo tem a vantagem de jogar em múltiplas posições, entretanto, para o clube acompanhar o ritmo do atleta, é necessário gente que acompanhe à risca, e não será com peças sem qualquer peso que se encontra esse estilo de jogo.

No ataque, a contestação principal é sobre Filipe Augusto que não mostra nenhum rendimento na ponta, hoje é reserva e um jogador mais voltado à segunda etapa das partidas, e mesmo assim não demonstra jogo, não emplaca sequência e realiza uma série de erros, William Pottker que vinha emplacando uma evolução ainda não é visto como um jogador suficiente para agregar ao elenco de uma maneira mais equilibrada.

Apesar da inoperatividade de certos atacantes, é incontestável a peça essencial que Rafael Sóbis vem fazendo ao Cruzeiro, o jogador veterano vem fazendo papel de liderança importante e trazendo motivos do porquê hoje veste a Camisa 10 da equipe, entretanto, não se constrói um ataque somente com Sóbis, seu posicionamento em campo é questionável às vezes pelos torcedores, tendo essa falta de peças de armação e organização como principal motivo.
(E a pergunta que fica, o que será de Marcelo Moreno nessa equipe?)

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Por fim, gostaria de ressaltar um debate que veio após a derrota no último clássico (e a eliminação no Estadual) e expressar meu pensamento sobre o técnico Felipe Conceição.
É precipitado demais e até um absurdo pedir a demissão do atual treinador agora "pré-Série B", implementar uma crise imensa deste nível na comissão técnica do Cruzeiro é desperdiçar todo um projeto que aparenta sair do papel e todo um trabalho que está sendo construído em campo, a ideia de demissão no momento é pior a todos nós.

É fato de que Conceição não é a pessoa perfeita que todos esperam, o mesmo precisa ser cobrado e identificar os erros que vem sendo apontados, além de repensar muitas coisas no plantel que possui em mãos, entretanto, para isso ocorrer firmemente, deve ter no Cruzeiro a mesma coisa cobrada em massa anteriormente neste texto, REFORÇOS!

Portanto, a cobrança mais intensa do torcedor do Cruzeiro hoje é na porta do presidente Sérgio Santos Rodrigues e do atual Diretor de Futebol, André Mazzuco, para que tanto a diretoria executiva busque recursos necessários quanto o Departamento de Futebol traga contratações para trazer alívio ao torcedor e fortaleça o trabalho que visa Felipe Conceição nestas 38 guerras que serão o Campeonato Brasileiro da Série B. 




8 comentários:

  1. timeco , acabaram com o cruzeiro simples assim

    ResponderExcluir
  2. O São Caetano do Barro Preto

    ResponderExcluir
  3. Após a vitória sobre o Atlético, Weverton era grande revelação!Ai perde para o América,entra nas provocações do Lisca doido,perde a chance de classificação!Tudo faz parte do crescimento e amadurecimento da equipe,só saber administrar os fatos!Os pontos fracos estão ai mais que evidentes.
    A diretória e a equipe técnica resolvam,e não deixem o bom trabalho ser prejudicado,perdemos uma batalha não a guerra,a Luta contínua!FORÇA CRUZEIROOOOO...

    ResponderExcluir
  4. Não sobe neste ano, o time é horrível. Isso que dá ser time caloteiro, está pagando pela compra de árbitros e pela SOBERBA.

    ResponderExcluir
  5. Vaaaamooo Cruzeiro...kkkkkkll

    ResponderExcluir
  6. Se o Menim fugir o outro lado da Lagoa desaparece tb.

    ResponderExcluir
  7. Vai lá cabuloso serie C Está esperando ali na esquina, não esqueçamos esse entregador de camisas eh o mesmo que dirigindo o bragantino no ano passado colocou o Claudinho no banco de reserva o tempo todo, o Claudinho soh foi o crack da galera, a revelação e para mim o melhor jogador do campeonato brasileiro de 2020 e hoje está convocado pela seleção olímpica, soh isto.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.