Depois do susto, o poder de reação mostra o caminho para o Cruzeiro

Foto: Divulgação / Cruzeiro

Quando a bola rolou neste domingo à noite para Cruzeiro e Tupynambás, poucos torcedores esperavam fortes emoções na partida.

O nosso adversário vinha na lanterna do Campeonato Mineiro, sem nenhuma vitória em 3 jogos disputados, enquanto o Cruzeiro continuava sua saga de reconstrução, com várias jovens promessas e um time ainda a busca de um melhor entrosamento.

Talvez por isso, o técnico Adílson Batista levou o time à campo com 5 alterações, em relação ao confronto anterior, contra o Villa Nova. João Lucas, Filipe Machado, Everton Filipe, Jhonata Robert e Roberson figuraram entre os titulares, nos lugares de Rafael Santos, Adriano, Rodriguinho, Alexandre Jesus e Judivan.

Mas quem se atrasou um pouco para começar a acompanhar a partida deve ter levado um grande susto. Em 15 minutos, o Cruzeiro já perdia por 2x0, em um misto de felicidade do adversário e falhas do nosso sistema defensivo. Algumas atuações individuais deixavam muito a desejar, como Roberson e Filipe Machado, enquanto outros jogadores pareciam ainda perdidos em campo.

O Cruzeiro ainda tentava criar oportunidades de gol, mas esbarrava em finalizações ruins ou em erros daquele último passe. Os jogadores estavam afoitos para iniciar logo uma reação.

No segundo tempo, todavia, o time voltou, pelo menos, mais organizado em campo. A qualidade de jogo melhorou junto com a atuação dos criticados no primeiro tempo. A reação começou com um belo gol de falta do lateral Edílson, que ainda marcaria o nosso gol de empate, em cobrança de pênalti.

O gol da virada foi uma pintura. Em uma jogada bem trabalhada, Maurício tocou para Roberson, que tirou o marcador adversário com um chapéu e devolveu para nosso camisa 11 fuzilar para as redes. 3x2 e festa do torcedor que compareceu em Juiz de Fora para acompanhar a partida.

Ainda deu tempo de Maurício fazer bela jogada e cruzar para Jhonata Robert fechar o placar. 4x2, com a manutenção dos 100% de aproveitamento e liderança da competição, até o momento.

Apesar da bela vitória, precisamos conter a empolgação excessiva, assim como precisaríamos ponderar as críticas em caso de um tropeço. Estamos apenas no começo do ano, foram 3 jogos disputados e a equipe está em formação. Por isso, ainda há muito trabalho a se fazer e um longo caminho a se percorrer até o objetivo maior da temporada.

De fato, o início de jogo ruim do Cruzeiro foi um prato cheio para a corneta comer solta (inclusive a minha). Talvez a quantidade de alterações no time titular tenha sido excessiva e corremos, sim, um risco grande e desnecessário contra um dos adversários mais fracos da competição. Uma derrota no jogo de ontem seria péssimo.

Contudo, precisamos estar cientes de que essa equipe encontrará muitas dificuldades ainda durante o ano. Eventualmente, uma derrota poderá acontecer e nosso jovem time precisará de muito apoio durante o ano de 2020. Porém, o Campeonato Mineiro deve ser utilizado para testes. É a hora de ver se os jovens da base poderão nos ajudar, se os reforços contratados darão conta do recado ou se será preciso reforçar a equipe antes do Campeonato Brasileiro. 

E, sinceramente, não criemos expectativas de título Mineiro. Não é o mais importante para nós. Na verdade, precisamos moldar esse time para que chegue forte no decorrer da temporada.

O treinador talvez não seja o seu preferido. O diretor de futebol  não seja aquele que você imaginava. Os reforços contratados não sejam aqueles que você queria.

Talvez você quisesse fazer o Sócio Reconstrução e o site apresentou muitos problemas. Ou você queira fazer as novas modalidades de sócio e o clube ainda não as lançou.

Ainda assim, precisamos nos lembrar que é o Cruzeiro que está em campo. Sem o apoio da torcida, não iremos a lugar algum. Não digo apoio incondicional; as cobranças devem aparecer e são bem-vindas, mas desde que sejam construtivas.

Precisamos, acima de tudo, de muita paciência, de muita calma. O Cruzeiro esteve à beira de um colapso total e esse processo de reconstrução será lento e gradual; não acontecerá de um dia para o outro. O nosso atual elenco não é aquele que estávamos acostumados. Nossa meta será diferente em 2020.

Adicionalmente, muitas decisões, da diretoria transitória e do próximo presidente a ser eleito, não irão agradar a todos.

Mas esse é o caminho para a reconstrução. Um tijolo de cada vez. Nós faremos o Cruzeiro ressurgir ainda mais forte.

Por enquanto, vamos apenas ressaltar o poder de reação do nosso time no jogo de ontem e saborear uma bela vitória. Há quanto tempo não via o Cruzeiro reverter um placar? Ou jogar um futebol ofensivo? Ou fazer 4 gols na mesma partida? Saibamos aproveitar os pequenos e bons momentos.

No mais, que a diretoria faça um bom preço de ingresso, uma promoção para que a torcida lote o Mineirão no próximo jogo, contra o América/MG. Será um jogo muito complicado e todo o apoio do torcedor será fundamental para nossa equipe. Vamos lá diretoria, #50milnoMineirão.

Para cima deles, Cruzeiro.

Um comentário:

  1. Tantos "talvezes" fazem parte da cultura do CAM. Aqui é Cruzeiro.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.